Esportes

Chance do Corinthians ser excluído da Libertadores é nula

Da Redação ·
Polícia e o MP da Bolívia investigam se 12 torcedores corintianos causaram a morte de garoto
fonte: Agência internacionais
Polícia e o MP da Bolívia investigam se 12 torcedores corintianos causaram a morte de garoto

SÃO PAULO, SP, 21 de fevereiro (Folhapress) - É nula a possibilidade de o Corinthians receber a punição máxima, que é a exclusão da Libertadores, caso o clube seja considerado culpado em extensão à morte de Kevin Douglas Beltrán Espada, 14, torcedor do San José de Oruro (Bolívia).

Pelo código disciplinar criado pela Conmebol este ano, por exigência da Fifa, a torcida é extensão do clube, portanto qualquer ato que seja imputado a torcedores corintianos pode acabar em punição também ao Corinthians.

Segundo importante dirigente da Conmebol ouvido pela reportagem, que pediu anonimato, a reunião que definiu os artigos do código disciplinar definiu que a exclusão de uma competição é para ser aplicada somente em dois casos: corrupção relacionada à competição ou abandono de campo.

No encontro para a criação do código, realizado no final do ano passado, na sede da Conmebol, no Paraguai, dirigentes da entidade fizeram questão de relacionar o abandono do campo do Tigre, na final da Copa -Sul-Americana ante o São Paulo, como ato grave e passível de exclusão em torneios futuros. O clube argentino ainda será julgado e pode ser punido.

Segundo o relato do dirigente, o mais provável que aconteça ao Corinthians, caso seja considerado responsável pelos seus torcedores, é perda de ponto, de mando de campo (tendo que jogar fora do Pacaembu ou de São Paulo) ou atuar com portões fechados.

Pelo artigo 11 do código disciplinar da Conmebol, "associações e clubes podem ser punidos por comportamento inadequado da torcida". Entre esses comportamentos está "usar sinalizador, fogos de artifício ou qualquer artefato pirotécnico".

No artigo 18 é detalhada as punições, como multa de R$ 200 a R$ 200 mil até a exclusão e perda de título.

A polícia e o Ministério Público (MP) da Bolívia investigam se 12 torcedores corintianos causaram a morte de Espada, que foi acertado durante a partida por um "projétil de plástico de forma cilíndrica, com 2,5cm de diâmetro e 20 cm de comprimento", segundo o inquérito policial. A provável causa da morte foi traumatismo craniano.

Os detidos fizeram exame para saber se estavam com pólvora nas mãos e não há previsão para serem libertados ou para o fim das investigações.

Um canal de TV da Bolívia exibiu imagens que mostram o momento em que um sinalizador é lançado pela torcida do Corinthians que estava no estádio em Oruro. Não é possível identificar se é o artefato que matou o torcedor do San José.
 

continua após publicidade