Esportes

Após ser punido, clube faz apelo contra "avalanche"

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 14 de fevereiro (Folhapress) - O Grêmio foi punido pelos incidentes provocados após o episódio da "avalanche" no confronto contra a LDU, do Equador, pela primeira fase da Libertadores, e fez hoje um apelo aos seus torcedores. Na ocasião, sete torcedores ficaram feridos após a barreira de proteção ceder após a comemoração do gol do meia Elano na Arena Grêmio. A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) determinou que a equipe interdite o setor norte -arquibancada inferior-, onde ocorreu o acidente, no próximo jogo da equipe na Libertadores em casa, no dia 5 de março, contra o Caracas, da Venezuela. O Grêmio, porém, poderá ter que jogar com o estádio totalmente fechado se novas ocorrências semelhantes acontecerem nos próximos dois anos. O clube foi punido ainda com uma multa de US$ 35 mil (cerca de R$ 70 mil). "Este tribunal [da Conmebol] considera a "avalanche" descrita como um comportamento incorreto ou inapropriado dos espectadores, dado o grande risco que sua realização pode ocasionar para a sua saúde e integridade física. Se ainda bem resultaram com ferimentos leves apenas alguns torcedores, da visualização das imagens da "avalanche" se pode concluir que as lesões ocasionadas poderiam ser de muito maior gravidade ou, inclusive, fatais. Assim mesmo, o número de espectadores feridos poderia ter crescido exponencialmente", reproduziu o clube gaúcho em seu site. "Pelo exposto acima, pedimos à nação tricolor a colaboração e a compreensão para que novos episódios da mesma natureza sejam evitados. Faça sua torcida e empreste seu entusiasmo para que possamos atingir nosso objetivo maior: o tricampeonato da Libertadores, se possível, dentro da nossa nova casa, a Arena", acrescenta a nota assinada pelo conselho de administração do Grêmio.  

continua após publicidade