Esportes

Algoz de Nadal, Zeballos ainda celebra feito no Brasil

Da Redação ·
Horacio Zeballos, argentino de Mar del Plata, nunca teve grandes participações em torneios de alto nível na ATP. Tampouco passou de top 50 do ranking mundial. Mas o tenista de 27 anos já entrou para a história por causa de uma rara estatística: apenas ele, Roger Federer e Novak Djokovic foram capazes de derrotar Rafael Nadal em uma final de um torneio disputado no saibro. O argentino subiu às nuvens (e 30 posições na lista da ATP, para chegar ao 43.º posto) após derrotar o "rei do saibro" na final do Torneio de Viña del Mar, domingo, no Chile. Impôs uma virada a Nadal e admite: "Acredito que joguei o melhor tênis da minha carreira". Alguns dias depois, voltou à vida normal. No Brasil Open, ainda não conseguiu pisar na quadra do Ginásio do Ibirapuera - seus dois jogos, de simples e de duplas, foram disputados no Ginásio Mauro Pinheiro, onde estão as quadras auxiliares do torneio. Zeballos está eliminado da chave de simples, após desistir do jogo contra o chileno Paul Capdeville no terceiro set, por sentir cansaço e náuseas. O argentino teria a oportunidade de enfrentar Nadal outra vez, e no Ibirapuera, na noite de quarta-feira, pelas quartas de final da chave de duplas. Mas o espanhol decidiu se poupar para a estreia de simples, nesta quinta-feira, contra o brasileiro João Souza, e se retirou do torneio junto com David Nalbandian. Foi-se a chance de duelar, mais uma vez, contra um dos "deuses do tênis", como Zeballos se refere a Nadal. "Ele, Federer, Djokovic e Murray são deuses. Esta é a grande diferença deles para outros jogadores, como eu. Eles fazem tudo bem o tempo todo. Por isso que ganhar de Nadal foi a maior alegria da minha vida", ressaltou. Ciente de que dificilmente algo parecido voltará a acontecer nas condições atuais, Zeballos mira agora uma maior consistência em seu jogo. "Tenho trabalhado muito a parte mental e a consistência do meu jogo. É fundamental manter a constância o ano todo, que isso vai se refletir no meu ranking." Zeballos reconhece que as dificuldades físicas de Nadal foram importantes para a zebra de Viña del Mar. "Antes da partida, não achava que tivesse possibilidade de ganhar. Pensava em tirar games dele, depois um set, mas o tempo foi passando... Ele não estava 100% e isso me ajudou um pouquinho, mas em todo tempo eu tive muita vontade de derrotá-lo."
continua após publicidade