Esportes

Reforços chegam ao Palmeiras com metas distintas

Da Redação ·
O Palmeiras apresentou oficialmente os seus mais novos reforços nesta sexta-feira na Academia de Futebol, em evento ofuscado pela iminente saída do atacante Hernán Barcos. De volta ao País após quatro anos em Portugal, o atacante Kleber disse que sonha em conquistar uma vaga na seleção brasileira, enquanto o meia-atacante Ronny espera ter êxito na sua primeira chance em um clube grande do futebol nacional. "Eu fiquei quase quatro anos na Europa. Como brasileiro, eu senti a falta daqui, dos familiares. O projeto apresentado pelo Palmeiras foi muito gratificante, ainda mais pela situação da (Copa) Libertadores. Eu estava precisando voltar mesmo para o Brasil. Eu não estava evoluindo na Europa, estava regredindo. Vou continuar a minha evolução no Palmeiras", afirmou Kleber, que estava no Porto e chegou a ser convocado por Mano Menezes para defender a seleção brasileira. "É claro que eu penso na seleção. Como falei, quem não é visto, não é lembrado. Como eu não vinha jogando (pelo Porto), não tinha chance nenhuma de eu ser convocado. Espero que a chance surja novamente. Se acontecer, vou tentar aproveitar da melhor maneira possível", completou o atacante. Contundido, Kleber vai precisar de duas semanas para ficar à disposição do técnico Gilson Kleina, como explicou durante a sua apresentação oficial. "A minha situação é um pouco mais complicada, pois venho de uma lesão muscular no posterior da coxa. Preciso de dez dias para cicatrizar a lesão, mas acredito que, em 15 dias, já estarei pronto voltar a treinar com bola", disse. Esperançoso em conquistar seu espaço no Palmeiras, Ronny espera ajudar o clube a conquistar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. "Muitas coisas que eu fiz no Figueirense, eu quero fazer no Palmeiras em 2013. O Figueirense me deu a chance de trabalhar, mas o meu foco agora é o Palmeiras, que abriu as portas para mim. Quero ajudar o clube a voltar para à Série A do Campeonato Brasileiro", afirmou.

O jogador aproveitou para garantir que pode atuar na posição que Kleina preferir no setor ofensivo. "Sou meia-atacante, o Palmeiras e o Gilson sabem muito bem. Ele optando no meio ou lá na frente, eu vou fazer o meu melhor. Com o tempo, ele vai conhecer o meu melhor e vai decidir. O Palmeiras não vai ter só um jogador disputando a vaga. Eu não sou muito de ficar na área, até pelo meu tamanho. Se ele optar por mim, eu já vou ficar muito feliz", disse Ronny, que se destacou pelo Figueirense no ano passado.

continua após publicidade