Esportes

Valcke alfineta críticos da preparação para Copa de 2014

Da Redação ·
O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, publicou nesta sexta-feira a sua coluna mensal no site oficial da entidade que controla o futebol mundial e aproveitou o espaço nobre reservado a ele para alfinetar "algumas poucas pessoas" que estão criticando a preparação do Brasil para a Copa do Mundo de 2014. Desta forma, o dirigente fez coro ao discurso de Ronaldo, membro do Comitê Organizador Local (COL) do Mundial, que na última quarta-feira apontou um excesso de críticas da imprensa aos preparativos do País e cobrou união de todos durante este processo. "É muito difícil entender por que, em um país que vive e respira futebol e onde em breve torcedores estarão apoiando as melhores seleções do planeta, algumas poucas pessoas continuam a enxergar apenas aspectos negativos, mesmo que não haja nada de negativo", escreveu Valcke, que até filosofou em seguida para justificar a sua indignação com as críticas, já no último parágrafo de sua coluna. "O Brasil é um país fantástico em todos os sentidos. Tenho orgulho de organizar ao lado dos brasileiros o maior evento esportivo do mundo. Como tudo na vida, porém, você pode ver o copo meio cheio ou meio vazio. É uma questão de atitude. Aqueles que o enxergam meio vazio correm grande risco de perder o momento quando o copo estiver finalmente cheio", completou. O secretário-geral da Fifa resolveu atacar os críticos, mesmo que de forma sutil, depois de também ter ficado constrangido, na última quarta-feira, ao ser questionado sobre a sua participação na candidatura brasileira para sediar a Copa de 2014, o que ocorreu pouco antes de ele mesmo integrar o Comitê Executivo da entidade que confirmaria o Brasil como anfitrião da competição, em 2007. O dirigente negou, entretanto, que tenha havido conflitos éticos entre sua função como consultor da campanha do País e o posterior cargo na Fifa. Ele alegou que ainda não era funcionário da organização quando aceitou o convite para ser consultor. E, antes de reclamar dos críticos, Valcke fez uma série de elogios à preparação do Brasil para o Mundial em sua coluna desta sexta, mas reafirmou a cobrança para que os estádios da Copa das Confederações, marcada para junho, fiquem prontos até abril. "A minha confiança no Brasil é baseada na firme responsabilidade assumida pelos governadores e prefeitos em cumprir com os seus compromissos na garantia de que todos os seis estádios da Copa das Confederações estarão concluídos até meados de abril para que, assim, possam receber pelo menos dois eventos-teste adequados antes do início do torneio. Todos eles estabeleceram datas para a inauguração e as partidas que servirão de teste. Essas datas estão definidas e não podem ser alteradas, porque a montagem das instalações temporárias, como as dos setores de telecomunicações e informática, precisa começar imediatamente a fim de garantir que as imagens da competição sejam devidamente transmitidas para o mundo inteiro e os torcedores possam desfrutar de uma experiência inesquecível", ressaltou. Valcke ainda enfatizou que a Fifa e o Brasil estão "caminhando juntos no ritmo certo, graças à nossa bem-sucedida parceria com o governo e as cidades-sede". "Estou convencido de que, por meio deste trabalho coletivo, realizaremos a edição brasileira da Copa do Mundo acima das expectativas do mundo da bola. Afinal, a Copa do Mundo está finalmente retornando ao país do futebol", pontuou.
continua após publicidade