Esportes

Palmeiras volta ao Pacaembu para encarar São Bernardo

Da Redação ·
As vaias e os aplausos de domingo passado ainda perturbam os jogadores do Palmeiras. A derrota para o Penapolense deixou a relação com a torcida, que já estava desgastada, ficar um pouco pior e ainda provocar a divisão entre os torcedores comuns e os organizados. Neste clima de incertezas, o time volta nesta quinta-feira ao estádio do Pacaembu para enfrentar o São Bernardo, às 19h30, pela quarta rodada do Campeonato Paulista. O que era para ser uma força externa a favor do Palmeiras, tem se tornado um novo problema a ser administrado neste início de temporada. A pressão das arquibancadas mexe com os jogadores que, embora reclamem da excessiva cobrança - na opinião deles -, admitem estarem em dívida pelo vexame do ano passado. O meia Wesley, por exemplo, deixou o jogo contra o Penapolense reclamando que era cedo para tantas vaias. E com mais um jogo no Pacaembu, fica a expectativa para saber como a torcida vai receber o time. A última vitória alviverde no estádio municipal foi no dia 2 de outubro de 2012, quando fez 3 a 1 no Millonarios, pela Copa Sul-Americana. "Não queremos dividir a torcida. Temos de pensar no Palmeiras e mobilizar o torcedor. Pedimos apoio de todos para pensarmos em prol do Palmeiras", disse o técnico Gilson Kleina. O desafio do treinador ao longo da semana foi motivar o elenco e não se deixar abater por um simples tropeço em casa. O ânimo foi renovado com a vitória sobre o Oeste, na rodada passada, mas a angústia voltou após o tropeço diante do Penapolense. A pressão não é só em cima dos jogadores. Até poucos dias, Gilson Kleina não era apontado como culpado de nada que aconteceu no ano passado e nos tropeços deste ano, mas já começa a ouvir as primeiras "cornetas soarem" em relação ao seu trabalho. Nomes como os de Paulo Autuori e de Mano Menezes começam a ser comentados no clube, mas o treinador mostra tranquilidade com o assunto. "Respeito quando se questiona um trabalho, já que realmente estou iniciando um trabalho em um (clube) grande. Mas muitos experientes passaram aqui e não aconteceram. Não compete a mim falar da minha situação", defendeu-se o treinador, que resolveu promover importantes mudanças na equipe para esta quinta. A principal delas é a estreia de Valdivia entre os titulares. Ele não treinou nesta quinta, mas Gilson Kleina confirmou a presença do chileno desde o início da partida. Outra novidade é o atacante Vinícius, que entra no lugar do volante João Denoni para o treinador testar uma formação no 4-3-3. "Foi o time que terminou o último jogo. Começa quem está com ritmo melhor. Essa mudança vai estruturar um pouco o time e dar maior criatividade pelos lados do campo", explicou o treinador.
continua após publicidade