Esportes

Campeão olímpico é confundido com terrorista nos EUA

Da Redação ·
Um dos heróis britânicos nos Jogos Olímpicos de Londres, o corredor Mo Farah levou um susto às véspera do Natal, quando tentava entrar nos Estados Unidos, onde passaria as festividades de fim de ano. Por ter nascido na Somália, o campeão olímpico nos 5 mil e nos 10 mil metros foi barrado por autoridades por suspeita de terrorismo. "Eu não pude acreditar. Por causa da minha origem somaliana, eu sou detido toda vez que venho para os Estados Unidos. Desta vez, até mostrei minhas medalhas para mostrar quem eu sou, e nem isso adiantou", revelou o atleta, em entrevista ao jornal britânico The Sun. Apesar do susto, Farah conseguiu entrar nos Estados Unidos. Mas não antes sem uma ajuda inesperada. Barrado, ele pediu ajuda ao técnico Alberto Salazar, que tinha um amigo no FBI, a polícia federal norte-americana. Por sorte, o policial era fã de corrida e pôde reconhecer o britânico com facilidade. "Para minha sorte, Alberto tinha um amigo no FBI. Ele é um grande fã de corrida e sabia exatamente quem eu era. Só Deus sabe o que poderia acontecer se ele não estivesse ali", comentou o dono de duas medalhas de ouro olímpicas. Passado o susto, Farah pôde se reunir aos familiares, que moram na cidade de Portland, no estado de Oregon. Ele mora nos Estados Unidos desde o ano passado, quando deixou a Inglaterra para treinar com Salazar, um dos grandes técnicos de atletismo do mundo.
continua após publicidade