Esportes

Ferguson já prevê 'grande recepção' a Cristiano Ronaldo

Da Redação ·
Com o Manchester United prestes a enfrentar o Swansea, neste domingo, pelo Campeonato Inglês, o técnico Alex Ferguson não escapou de comentar, neste sábado, os confrontos que o seu time travará com o Real Madrid nas oitavas de final da Liga dos Campeões. O embate entre os dois clubes foi definido em sorteio realizado na última quinta-feira, e o comandante avisou que Cristiano Ronaldo, ex-ídolo da equipe inglesa e hoje astro do time espanhol, terá uma "grande recepção" dos torcedores no Estádio Old Trafford no duelo de volta deste mata-mata, no dia 5 de março de 2013. Em tom de brincadeira, Ferguson chegou a dizer, em entrevista coletiva, que o jogador português não deveria ter o direito de encarar o Manchester United. "O contrato que fizemos devia proibir Ronaldo de jogar contra nós. Acho uma vergonha se ele jogar contra a gente", afirmou o treinador, sorrindo, antes de prever como será a primeira partida do ídolo como adversário da equipe inglesa no Old Trafford. "Uma coisa certa é que ele terá uma grande recepção quando vier ao Old Trafford, e com razão, e entrar em campo. Depois disso ele poderá ser vaiado o tanto que os torcedores quiserem. Os fãs sempre são assim com jogadores que fizeram parte do sucesso desse clube", completou. A partida de ida entre Real Madrid e Manchester será no dia 13 de fevereiro, no Estádio Santiago Bernabéu, e Ferguson garante não ter ressentimentos com a decisão de Cristiano Ronaldo de ter trocado o clube inglês pelo espanhol em 2009. "Ronaldo veio para cá aos 17 anos de idade e se tornou um grande jogador. Estamos orgulhosos do nosso papel em sua carreira", enfatizou o comandante. Em seguida, o treinador também deixou claro que não considerou uma atitude de ingratidão o fato de o português ter aceitado a proposta do clube espanhol enquanto reinava como grande ídolo do Manchester. "Ele sempre teve o desejo de ir para o Real em algum momento de sua carreira e nós o ajudamos neste caminho. Eu não acho que isso é deslealdade, pois eu consegui um outro ano dele, quando ele quis sair na temporada anterior", encerrou, lembrando que o atacante poderia ter ido até mais cedo para a equipe madrilenha.
continua após publicidade