Esportes

Torcedores protestam e picham muro da Vila Belmiro

Da Redação ·
O muro da Vila Belmiro amanheceu pichado nesta sexta-feira com as frases "Laor ladrão, Laor gambá" e "Volta Robinho". A ação de vandalismo contra a diretoria do Santos, especialmente o presidente Luis Alvaro Oliveira Ribeiro, que está licenciado por problemas de saúde, refere-se a algumas ressalvas no balanço fiscal identificadas pelo Conselho Deliberativo. "Cadê os 40 milhões? Chega de promessas", questiona outra frase escrita no muro do estádio do Santos citando uma das promessas da campanha eleitoral de Laor para a presidência: a criação de um fundo de investimento para contratação de jogadores. A falta de reforços é um tema recorrente nas reclamações dos santistas, tanto na oposição como na situação. O time deve acertar o retorno de Nenê, do Paris Saint-Germain; está em fase final de negociação com Cícero, do São Paulo, mas efetivamente só contratou Neto, zagueiro do Guarani. Nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, até o técnico Muricy Ramalho manifestou publicamente sua insatisfação sobre o tema. O último fator de insatisfação dos torcedores está relacionado à participação do dirigente em um churrasco com dirigentes corintianos e o fato de ter declarado que torceria para o rival na final da Copa Libertadores. As pichações nos muros, no entanto, são protestos recorrentes da torcida, como no mandato do presidente Marcelo Teixeira. Apesar dos seis títulos conquistados desde assumiu a presidência do Santos em dezembro de 2009, o presidente Luis Alvaro amargou revezes em 2012, como a eliminação na Libertadores pelo Corinthians e a fraca campanha no Campeonato Brasileiro. O vice-presidente Odílio Rodrigues não retornou os recados deixados pela reportagem do Estado para comentar os protestos.
continua após publicidade