Esportes

Australiano Parkinson fatura título mundial do surfe

Da Redação ·
O australiano Joel Parkinson conquistou em grande estilo o título do circuito mundial do surfe (ASP World Tour). O competidor, de 31 anos, se sagrou campeão ao vencer a última etapa desta temporada, o Pipe Masters, realizada em Banzai Pipeline, em Oahu, no Havaí. Mas a conquista foi garantida antes do seu triunfo na etapa, pois o norte-americano Kelly Slater, seu concorrente na luta pelo título, caiu nas semifinais ao perder para o também australiano Josh Kerr. "Este é o lugar onde eu queria estar no final do ano", vibrou Parkinson. "Trabalhei por isso durante toda a minha vida e nem consigo descrever o que estou sentindo agora. Eu tive vários vice-campeonatos, vivi bons e maus momentos, fui ao inferno e voltei. Eu amo o Havaí, estou muito feliz por botar a Austrália no topo do mundo de novo e quero agradecer a todos que me apoiaram". O primeiro título mundial de Parkinson foi conquistado na sua 12ª temporada na elite do surfe. Anteriormente, o australiano havia sido vice-campeão quatro vezes, em 2002, 2004, 2009 e 2011. Ele já venceu 11 etapas, mas apenas uma neste ano, em que foi vice três vezes.

"Um dia você acorda se sentindo bem e no dia seguinte um perdedor", disse Parkinson. "Esta manhã eu acordei me sentindo um campeão. Como o Andy (Irons) sempre dizia: 'Eu tenho isso, hein?' Eu dedico este título para o meu pai, que sempre me levava para os campeonatos desde quando eu tinha 10 anos de idade, para a minha esposa, minha mãe, meus filhos, isso é tudo pra nós". Parkinson festejou a sua conquista antes mesmo da final, mas mesmo conseguiu se manter concentrado para vencer o Pipe Masters com o triunfo sobre Kerr por 17,17 a 14,83. "Veio tudo de uma vez só, título mundial, Pipe Master, é surreal isso", continuou Parkinson. "Achei que ia ser aquela pressão toda como anos atrás. Eu sabia que não tinha nada que eu pudesse fazer. Eu tinha que fazer a minha parte e ele (Slater) a parte dele, que tinha a bateria com o local do pico, Shane Dorian, e eu sabia que o (Josh) Kerr era um perigo para ele. Quando o Kerr pegou aquele tubo no início, senti um negócio como se fosse vomitar e não consegui controlar minhas emoções naqueles momentos finais. Foi tudo muito louco". Slater lamentou a chance desperdiçada de conquistar o seu 12º título mundial e avaliou que ter ficado fora da etapa brasileira pesou para a sua derrota. "Eu perdi a etapa do Brasil porque tive um corte no meu calcanhar e não conseguia realmente surfar", lembrou o astro, que fez um balanço positivo da sua temporada e elogiou Parkinson. "Pensei apenas em descansar e ficar focado nas próximas etapas. Venci em Fiji, mas o pior foi em Teahupoo. Eu fiz dois ou três erros consecutivos contra o Ricardo (dos Santos), que tirou um 9,8 nos últimos segundos para me vencer. Depois ganhei em Trestles e na França, mas tudo começou a desmoronar em Portugal, onde não fui bem e nem em Santa Cruz (Estados Unidos). Por alguma razão, foi tudo na direção do Parko. Ele está no circuito por 10, 11 anos, sempre na caça do título mundial desde o começo, é um surfista incrível, um cara que faz tudo parecer fácil, então parabéns a ele pelo título". Com o encerramento da temporada 2012, seis brasileiros se garantiram na elite do surfe para 2013. Adriano de Souza terminou o ano em quinto lugar, duas posições à frente de Gabriel Medina. Miguel Pupo ficou na 17ª posição, seguido por Alejo Muniz. Todos eles permanecem na elite, pois os 22 primeiros colocados permanecem na elite. Filipe Toledo foi um dos 10 indicados pelo ranking unificado e Raoni Monteiro vai continuar na elite após receber um dos convites destinados a surfistas que se contundem durante a temporada. William Cardoso fica como reserva para substituir algum atleta ausente, enquanto Heitor Alves e Jadson André estão fora da elite.

continua após publicidade