Esportes

Confusão não mancha título são-paulino, diz Ney Franco

Da Redação ·
A final da Copa Sul-Americana, disputada na noite de quarta-feira, no Morumbi, terminou em confusão. Alegando falta de segurança, o Tigre se recusou a voltar ao campo depois do intervalo e, diante da desistência do adversário, o São Paulo foi declarado campeão da competição. Para o técnico Ney Franco, a decisão conturbada não mancha e nem tira o mérito da conquista são-paulina. "Nós somos merecedores do título, estamos muito felizes pela conquista. Fazia quatro anos que o São Paulo não ganhava um título, é mais um título internacional. E nada vai mascarar, nada vai danificar o nosso título", avisou Ney Franco, que criticou bastante a postura do Tigre durante a decisão da Sul-Americana. "O que eles fizeram aqui não pode manchar a nossa vitória." Ney Franco lembrou que o São Paulo tinha o controle total da partida, depois de ter aberto 2 a 0 no primeiro tempo - gols de Lucas e Osvaldo -, e que a conquista do título era apenas uma questão de tempo. Por isso mesmo, ele acusou o Tigre de ter sido "covarde" e "pipoqueiro", provocando uma confusão para evitar a disputa da segunda etapa e não levar uma goleada no Morumbi. "Enfrentamos um adversário muito covarde, querendo parar o São Paulo na pancada. Iam voltar para o segundo tempo e tomar o terceiro, o quarto gol. Eles se esconderam e pipocaram", acusou Ney Franco, reforçando as críticas ao Tigre. "Os caras não são santos. Os caras não têm limite, não têm educação. A gente enfrentou uma equipe que passa do limite em termos de marcação." Durante a entrevista coletiva pós-jogo, o treinador do São Paulo explicou que ainda não tinha informação exata sobre o que tinha acontecido dentro do vestiário do Tigre durante o intervalo do jogo - os argentinos atestam que foram agredidos por seguranças são-paulinos e policiais -, mas disse que os problemas dentro de campo foram todos causados pela equipe da Argentina. "A confusão foi toda armada por eles, foi provocada por eles. A vergonha é do lado deles dentro do campo. O que aconteceu do lado de fora, não tenho informação", afirmou Ney Franco, que cobrou providências da Conmebol. "Acho que a Conmebol tem que tomar uma atitude no futebol sul-americano. Que esse jogo sirva como referência", pediu o treinador do São Paulo.
continua após publicidade