Esportes

Messi tira foco de feito pessoal e exalta fase do Barça

Da Redação ·
Como de costume, Lionel Messi preferiu ser discreto e exaltar o Barcelona a se vangloriar por mais um feito de sua impressionante carreira. Após marcar dois gols na vitória por 2 a 1 sobre o Betis, no último domingo, em Sevilha, pelo Campeonato Espanhol, o atacante argentino se tornou o maior artilheiro da história de um só ano em jogos oficiais no futebol mundial. Ele chegou a incríveis 86 bolas na rede e superou a marca de 85 gols marcados pelo alemão Gerd Müller em 1972. "O recorde é bonito pelo que significa, mas o mais importante é que a equipe ganhe e siga mantendo a distância aos seus perseguidores", afirmou o astro do Barça, se referindo ao fato de que o time tem seis pontos de vantagem sobre o vice-líder do Campeonato Espanhol, Atlético de Madrid, e está 11 na frente do arquirrival Real Madrid, o terceiro colocado. Messi entrou em campo neste domingo após ter superado uma lesão no joelho, sofrida na última quarta-feira, diante do Benfica, pela Liga dos Campeões, quando o argentino chegou a temer por um problema mais grave. Porém, ele se recuperou rápido, bateu o recorde histórico que durava 40 anos e agora já vislumbra a possibilidade de tornar o seu feito ainda mais expressivo nos três últimos jogos do Barcelona em 2012. A equipe ainda jogará neste ano contra o Córdoba, pela Copa do Rei, e diante de Atlético de Madrid e Valladolid, pelo Espanhol. "Tentarei ampliar o recorde para torná-lo mais difícil de batê-lo para quem vier atrás", disse o argentino, em tom bem-humorado, para não parecer esnobe em relação a outros artilheiros que poderão almejar um dia bater esse recorde de gols em um só ano no futebol mundial. E Messi já está cansado de provar que seu discurso humilde não é falsa modéstia, mas sim o de um jogador que atua para o time, ajudando na marcação e sem o estrelismo que poderia ostentar na condição de maior craque da atualidade. "Quando você começa o ano o objetivo é ganhar tudo com a equipe, os prêmios pessoais são secundários", disse o astro após a vitória sobre o Betis. E, ao ser questionado sobre o fato de que concorrerá mais uma vez ao prêmio de melhor jogador do mundo eleito pela Fifa, destacou que Iniesta, seu companheiro de time e finalista da premiação da entidade, mereceria receber essa honraria - o meio-campista está na briga pelo prêmio também com Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. "Se Iniesta ganhar será totalmente merecido e me alegraria muito. É um título para o vestiário (do Barcelona)", enfatizou, ao falar sobre foi eleito o melhor jogador da Eurocopa de 2012, conquistada pela Espanha.
continua após publicidade