Esportes

Ecclestone diz que Schumacher errou ao voltar à F1

Da Redação ·
Sete vezes campeão mundial, Michael Schumacher deixou a Fórmula 1 no último dia 25 de novembro, no GP do Brasil, como um ilustre coadjuvante de uma temporada na qual não foi nem sombra do piloto que um dia dominou amplamente a categoria. E, para Bernie Ecclestone, chefe da F1, o veterano piloto alemão, que completará 44 anos no próximo dia 3 de janeiro, errou ao ter retornado às pistas e interrompido a sua primeira aposentadoria, pois já havia feito uma despedida no final de 2006. Para o dirigente, Schumacher acabou colocando uma mancha desnecessária em sua gloriosa trajetória na F1 e prejudicou o legado de quem é considerado um dos maiores pilotos de todos os tempos. "Eu preferiria que ele tivesse parado como heptacampeão mundial do que parado agora. Pessoas novas no esporte, pessoas que se tornaram fãs da F1 apenas recentemente, vão se lembrar de Michael agora, não como ele foi. Eles não enxergam o herói que ele era, mas o homem que pode fracassar", afirmou Ecclestone, em entrevista ao site oficial da Fórmula 1. E Bernie, de 82 anos, colocou a si próprio como exemplo para defender a tese de que Schumacher não deveria ter retornado à F1 em 2010, após a sua primeira aposentadoria. "Acho que a coisa importante é - e isso é provavelmente difícil - saber quando você não pode fazer mais o que se acostumou a fazer. E isso serve para qualquer um. Espero que eu possa fazer isso: quando eu não puder mais corresponder, certamente vou dizer adeus", prometeu. Ecclestone, porém, ressaltou que irá sentir falta de Schumacher na Fórmula 1, tendo em vista a figura lendária que o piloto representava para a categoria. "Ele curtia as corridas e foi lá ajudar a fazer boas coisas para a F1. Sentiremos saudades de Michael, porque, mesmo que não tenha vencido corridas nestes três anos, ele ainda é muito popular", enfatizou. Correndo pela Mercedes nas últimas três temporadas, depois de ter passado por Jordan, Benetton e Ferrari em sua trajetória na F1, Schumacher conseguiu subir ao pódio somente uma vez, no GP da Europa deste ano. Este 2012, porém, marcou a temporada em que ele somou menos pontos. Contabilizou apenas 49, após ter feito 72 em 2010 e 76 em 2011.
continua após publicidade