Esportes

Sampaio vê ano atípico, mas crê em fim no 'plano A'

Da Redação ·
O gerente de futebol do Palmeiras, César Sampaio, admitiu nesta terça-feira que será muito difícil para o time se livrar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, mas segue confiante de que é possível terminar a temporada de forma positiva, embora hoje a equipe esteja sete pontos atrás de Bahia e Portuguesa, primeiros clubes fora da zona de descenso, a quatro rodadas do fim da competição. "A meta é difícil, a maioria já dá o Palmeiras como rebaixado, mas a gente não se considera. Enquanto estiver 1% de chance na matemática, nós vamos lutar. Esperamos terminar o ano no 'plano A', com a vaga na Libertadores e permanência na elite", afirmou o dirigente, admitindo que também contribuiu de alguma forma para a péssima campanha realizada pela equipe neste Brasileirão. "Não dá para jogar a culpa só nos jogadores. Todos têm uma parcela de responsabilidade, alguns jogadores não renderam o que a gente imaginava, tivemos problemas com lesões e a diretoria deve ter errado em alguns momentos também", completou, ao mesmo tempo em que garantiu não ter se arrependido do fato de o clube ter priorizado a Copa do Brasil, consequentemente enfraquecendo a equipe em algumas rodadas do torneio nacional. Para Sampaio, o Palmeiras precisa mostrar grandeza e fazer de tudo para fechar a temporada de forma heroica. "Estamos vivendo um ano atípico, mas temos uma esperança grande de terminá-lo como heróis. Futebol não é justiça, é competência, e não tivemos competência para ganhar vários jogos, como o contra o Botafogo (no último domingo)", reconheceu o dirigente.
continua após publicidade