Esportes

Confronto de torcida pode render nova punição a clube

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 5 de novembro (Folhapress) - O árbitro goiano Elmo Alves Resende Cunha relatou na súmula do empate entre Palmeiras e Botafogo, ontem, por 2 a 2, que a torcida da equipe paulista agrediu quatro policiais e ainda jogou uma bomba contra a PM. O confronto aconteceu no estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara (a 273 km de São Paulo), onde o Palmeiras joga após ter sido punido por distúrbios de sua torcida no clássico contra o Corinthians, no começo de outubro, no Pacaembu, também pelo Campeonato Brasileiro. "Fomos informados pelo 1º tenente Zacheto que o soldado Tasso, o cabo Vicente e a cabo Lucélia foram agredidos fisicamente, sofrendo escoriações pela torcida do Palmeiras. O 1º tenente Zacheto teve, inclusive, seu capacete danificado. Tais fatos ocorreram nas arquibancadas, próxima à referida torcida", escreveu Cunha na súmula. Ainda de acordo com o relato do tenente ao árbitro, uma bomba foi arremessada pela torcida do Palmeiras a um grupo de policiais no final do segundo tempo da partida. Segundo o procurador do STJD, Paulo Schmidt, o Palmeiras será denunciado pela confusão. Caso sofra uma nova punição, o clube voltará a perder mandos de campo em 2013 na disputa do Brasileiro, seja na divisão de elite ou na Série B.  

continua após publicidade