Esportes

Após vitória, Raikkonen espera Lotus mais forte na F1

Da Redação ·
Depois de conquistar no último domingo a sua primeira vitória na Fórmula 1 desde o seu retorno à categoria, Kimi Raikkonen prevê a Lotus ainda mais forte nas últimas corridas desta reta final de temporada e no próximo ano, quando a equipe espera poder ajudar o finlandês a brigar de igual para igual com os principais rivais pelo título, que em 2012 agora ficou restrito a apenas Sebastian Vettel, da Red Bull, e Fernando Alonso, da Ferrari. "Tem sido uma temporada difícil e sinto que essa vitória é bem merecida por todos e é só o que precisamos. E é também algo grande para todos os fãs que continuaram me apoiando e apoiando a equipe. Nós não tivemos o mais fácil dos momentos nas últimas corridas. Esperamos que essa vitória nos dê mais fé, não apenas para todos que trabalham na equipe e na fábrica, mas para todos por trás dos bastidores da equipe. Espero que isso possa virar a mesa e nos dar muitas corridas boas e vitórias, se não for neste ano, então que seja no próximo", afirmou Raikkonen. Campeão mundial em 2007, o finlandês, porém, minimizou o peso que teve para ele a sua 18.ª vitória na F1, embora tenha coroado uma temporada na qual já havia acumulado outros seis pódios, pois também chegou três vezes em segundo lugar e outras três em terceiro neste ano. "Para ser honesto, essa é apenas mais uma vitória na lista para mim. É claro que é ótimo vencer, porque já fazia alguns anos que isso não acontecer, mas as provas antes desta foram muito semelhantes. Nós não tínhamos o melhor carro, mas nós lutamos e ainda vencemos. É uma grande vitória agora, então as pessoas irão parar de me perguntar se posso vencer ou não", completou Raikkonen, que antes já havia dito que voltaria à F1 para ganhar corridas, não apenas para fazer parte novamente da maior categoria do automobilismo. E, agora sem chances matemáticas de brigar pelo título, Raikkonen ostenta uma confortável e expressiva vantagem na terceira colocação no Mundial, agora 31 pontos à frente do australiano Mark Webber, da Red Bull, o quarto no geral, a duas corridas para o término do campeonato.
continua após publicidade