Esportes

Brasil vence Japão na estreia, mas deve perder Falcão

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 1º de novembro (Folhapress) - A seleção brasileira de futsal estreou com vitória de 4 a 1 sobre o Japão, no Mundial de Futsal na Tailândia, hoje. No entanto, o ala Falcão, principal jogador do time, deixou a partida machucado e acredita ser difícil prosseguir na competição. O jogo Desde a saída de bola, o domínio do jogo foi brasileiro. Com seus quatro jogadores de linha recuados, o Japão dava espaço, mas faltou ao Brasil chutar mais ao gol. Quando conseguiu, com Fernandinho e Rodrigo, acertou a trave. O primeiro gol saiu aos 14min, dos pés de Wilde. A goleada foi selada logo no início do segundo tempo. Aos 2min, Neto recebeu passe de Ari e chutou forte para fazer 2 a 0. Logo depois, aos 4min, Ari rolou a bola para Wilde chutar e marcar o terceiro gol brasileiro. Em seguida, aos 6min, o goleiro Kawahara falhou em um chute de Vinícius e permitiu os 4 a 0 do Brasil. O Japão diminuiu aos 8min, com jogada individual de Inaba. Ao fim da primeira rodada, o Brasil divide a liderança do Grupo C com Portugal, que venceu a Líbia por 5 a 1. No próximo jogo, o Brasil enfrenta a Líbia, às 12h de domingo (horário de Brasília). Japão e Portugal também jogam no mesmo dia. Falcão O ala Falcão saiu de quadra com dores na panturrilha direita e chegou a chorar no banco de reservas. O jogador admite ser difícil continuar na Copa do Mundo. Ele sentiu dores após o treino de ontem e tinha feito uma ressonância durante o dia. Ele ficou 3 minutos em quadra, mas sentiu o incômodo. "Com esta lesão na panturrilha será difícil a sequência", afirmou Falcão. Ele acredita que sua recuperação deve durar 15 dias -a copa vai até o dia 18 de novembro. Com 35 anos, Falcão tem mais de 200 jogos pela seleção e foi campeão mundial de futsal em 2008 e do Pan-Americano do Rio, em 2007. Se confirmada a sua saída, não será a primeira perda do time. O fixo Ciço foi cortado no começo desta semana, também por problema na panturrilha -Rafael Rato foi chamado em seu lugar.  

continua após publicidade