Esportes

Lucas se surpreende com assédio na chegada ao Chile

Da Redação ·
Sete horas depois de deixar o CT da Barra Funda, a delegação do São Paulo aterrissou em Santiago, onde enfrenta a Universidad de Chile, nesta quarta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana. Os são-paulinos não esperavam que, já no aeroporto, fossem ser recebidos por tantos repórteres e torcedores. Junto com Rogério Ceni um dos mais assediados do elenco, o meia-atacante Lucas se surpreendeu: "Não esperava esse assédio todo da imprensa local e de alguns torcedores aqui no Chile. É legal saber que minhas atuações vêm repercutindo em vários locais", disse o jogador, convocado pela seleção brasileira entre a saída do Brasil e a chegada ao Chile. Lucas vem em grande fase, tendo marcado três gols diante do Sport, no sábado. Outro em grande momento é Rogério Ceni, que voltou a jogar em alto nível na véspera de decidir sobre a sua aposentadoria. Como Luis Fabiano não foi ao Chile, os dois dividiram a responsabilidade de falar com a imprensa. A viagem é apenas a segunda internacional de Lucas com o São Paulo. Muito diferente de Rogério Ceni, são-paulino que mais viajou a América. "Até espanhol ele fala. Eu ainda me esforço pra entender as perguntas e respondo tudo em português. O Rogério é incomparável", comentou Lucas. Além de Luis Fabiano, poupado, o técnico Ney Franco também não vai poder contar com Paulo Miranda, que sente dores no joelho. Na lateral, entra Douglas. Para definir o substituto do ataque, o treinador tem mais chance de fazer observações: no treino desta terça, às 19h locais (20h de Brasília), no Estádio Nacional, local da partida.
continua após publicidade