Esportes

Ex-companheiro de Lance Armstrong admite doping

Da Redação ·
Mais um ex-companheiro de equipe de Lance Armstrong admitiu nesta terça-feira que se dopava na época em que o norte-americano acumulava seguidos títulos nas principais competições do mundo. Trata-se do norueguês Steffen Kjaergaard, que confessou ter usado os hormônios EPO e cortisona para melhorar seu desempenho esportivo. O ciclista foi companheiro de Armstrong, banido do esporte por doping nesta segunda-feira, na equipe U.S. Postal Service nos anos de 2000 e 2001. Kjaergaard, já aposentado, disse que não tem certeza se outros companheiros se dopavam na época, mas não descartou mais casos. "Eu suponho que havia outros", declarou o ciclista de 39 anos à imprensa local. O norueguês não é o primeiro ex-companheiro de Armstrong que admitiu ter se dopado na época em que o americano surpreendeu o mundo ao faturar sete títulos seguidos da tradicional Volta da França. As conquistas do norte-americano foram cassadas nesta segunda-feira, com o banimento anunciado pela União Ciclística Internacional (UCI), a partir de denúncias de ex-companheiros de equipe. Declarações do ex-ciclista Tyler Hamilton à imprensa, entre outros testemunhas, embasaram minucioso relatório divulgado pela Agência Antidoping dos Estados Unidos há duas semanas. O material denunciou sofisticado esquema de doping supostamente elaborado por Armstrong e fundamentou seu banimento, confirmado pela UCI.
continua após publicidade