Esportes

Após outra derrota, Vadão deixa o comando do Guarani

Da Redação ·
A quarta passagem de Vadão pelo Guarani chegou ao final neste sábado. Após a derrota para o América-MG, por 3 a 0, no Estádio Brinco de Ouro - a terceira seguida da equipe - o treinador entregou o cargo e foi atendido pelo presidente Marcelo Mingone. Ele deixa o clube após uma sequência insustentável de sete jogos sem vitória dentro do Campeonato Brasileiro da Série B. Só nesta semana, o Guarani sofreu oito gols e não marcou nenhum. Na terça-feira passada tinha apanhado de 5 a 0 do Goiás, em Goiânia. Esta sequência negativa deixou o time com 37 pontos, em 14.º lugar, e agora preocupado com a ameaça do rebaixamento. "Procurei a diretoria e acredito que chegou o momento de eu sair. Os jogadores não conseguem reagir, o time não apresenta reação e acredito que chegou a hora. A mudança de comando com nove pontos à frente é a melhor para o Bugre. Tenho que pensar como profissional, ter a consciência que chegou meu momento", disse o treinador em sua despedida. O presidente do Guarani, Marcelo Mingone, preferiu adotar a cautela para a escolha do nome do novo treinador. Ele confirmou que o auxiliar técnico Odair Batistela comandará o time na partida contra o Atlético-PR, na próxima terça-feira, às 15 horas, em Curitiba. Segundo treinador que mais comandou o Guarani, atrás apenas de Zé Duarte, Vadão encerra sua quarta passagem com 175 jogos realizados dirigindo o time. Foram 75 vitórias, 40 empates e 60 derrotas, num aproveitamento de pouco mais de 50% dos pontos disputados. Em 1995, em sua primeira vez no comando do time campineiro, ele também havia pedido demissão. No primeiro semestre, o Guarani surpreendeu ao ficar com o vice-campeonato paulista, perdendo a final para o Santos.
continua após publicidade