Esportes

Seleção é ovacionada e Rômulo exalta apoio em Recife

Da Redação ·
Depois de enfrentar a África do Sul em meio a um clima hostil proporcionado pelos torcedores que foram ao Morumbi, em São Paulo, a seleção brasileira segue sendo festejada pelo público em Recife, onde, na tarde deste domingo, entrou no Estádio Arruda para treinar ovacionada por cerca de 8 mil pessoas. Este treinamento é o primeiro e último no gramado visando o amistoso desta segunda-feira, às 22 horas, na casa do Santa Cruz. Na última quinta, no treino de reconhecimento do Morumbi para o amistoso da última sexta, os jogadores da seleção brasileira ouviram algumas vaias e o público não apresentou nem metade da empolgação demonstrada neste domingo na capital pernambucana. E o amistoso desta segunda-feira terá um sabor especial para o volante Rômulo. Piauiense, ele jogou no Porto de Caruaru (PE) antes de se transferir para o Vasco, pelo qual se destacou antes de ser contratado pelo Spartak Moscou, da Rússia. Neste domingo, ele concedeu entrevista coletiva e exaltou o apoio dos nordestinos à seleção. Pelo fato de jogar em Pernambuco, Rômulo ainda revelou que muitos parentes pediram ingressos a ele para o amistoso desta segunda, onde ele espera por um clima festivo e bastante favorável ao time de Mano Menezes. "Aqui a seleção vai ter bastante apoio mesmo, pois no Nordeste o pessoal é muito carente", enfatizou. Em seguida, o atleta destacou que vê a pressão por resultados e pela volta do bom futebol da seleção como positiva para ele. "A pressão na seleção é grande, mas para mim tem sido uma pressão positiva, porque essa pressão me faz crescer como jogador" acrescentou. Rômulo também negou que a desconfiança da torcida em relação à seleção esteja ligada à perda da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, no mês passado, e apontou a postura que espera encontrar por parte do público brasileiro, que no Morumbi chegou a pedir até pela entrada em campo de jogadores não convocados por Mano Menezes, como é o caso de Luis Fabiano, do São Paulo. "Torcedor tem que esquecer o fanatismo pelos clubes e torcer pela seleção", salientou.
continua após publicidade