Esportes

Brasil leva maratona e fecha Paralimpíada com 21 ouros

Da Redação ·
O Brasil encerrou neste domingo a sua participação na Paralimpíada com a conquista da 21ª medalha de ouro. A última vitória do País em Londres foi garantida por Tito Sena, que venceu a maratona na categoria T46. Ele completou os 42 quilômetros da prova em 2h03min40. Tito Sena ficou 40 segundos à frente do espanhol Abderrahman Ait Khamouch, que garantiu a medalha de prata. O também brasileiro Olivan Bonfim terminou a maratona na quarta colocação, atrás do belga Frederic Heede, que completou o pódio da maratona paralímpica T46. "O espanhol estava tentando fugir e eu fiquei segurando. Minha perna estava pesada, mas eu sabia que não podia parar. Nos 200 metros finais eu sabia que era do Brasil esse ouro, não ia abrir mão. Fui para cima e conquistamos essa medalha de ouro para o nosso Brasil", afirmou o campeão olímpico. De acordo com Tito Sena, medalhista de prata na Paralimpíada de Pequim, a estratégia fez a diferença na sua vitória. "Circulei no pelotão de frente o tempo todo, liderando junto com o espanhol. Na reta final ele deu o sprint, mas não conseguiu segurar. Aí eu dei o sprint e ganhei. É uma emoção muito grande", resumiu. Com a conquista de Tito Sena, o Brasil terminou a Paralimpíada de Londres na sétima colocação no quadro geral de medalhas, com 43 conquistas, sendo 21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze. A China liderou a disputa, com 95 ouros, 71 pratas e 65 bronzes. Apenas o atletismo deu 18 medalhas ao Brasil, com sete de ouro, oito de prata e três de bronze. "Tivemos quatro medalhistas de ouro homens na história (Luiz Cláudio Pereira, Antônio Delfino, André Andrade e Lucas Prado) e fizemos quatro novos em Londres (Alan Fonteles, Felipe Gomes, Yohansson Nascimento e Tito Sena). Duplicamos o número de medalhistas de ouro. Ficamos em sétimo lugar, dentro da meta da modalidade, e alcançamos a melhor marca de medalhas da história. Renovamos os atletas medalhistas e temos jovens com boas perspectivas para os próximos anos", avaliou o coordenador nacional do atletismo paralímpico do Brasil, Ciro Winckler. FUTEBOL DE SETE - Assim como aconteceu em Pequim/2008, a seleção brasileira terminou na quarta colocação na disputa do futebol de sete na Paralimpíada de Londres. Na disputa da medalha de bronze, a equipe foi goleada por 5 a 0 pelo Irã. Rasoul Atashafrouz (dois), Farzad Mehri (dois) e Jasem Bakhshi fizeram os gols do jogo. O Brasil conquistou o bronze no futebol de sete da Paralimpíada de Sydney/2000 e a prata em Atlanta/2004, mas não conseguiu repetir essas campanhas neste ano. Em Londres, a equipe venceu a Grã-Bretanha por 3 a 0, massacrou os Estados Unidos por 8 a 0, e empatou com a Ucrânia por 1 a 1 na primeira fase. Na semifinal, porém, a seleção brasileira perdeu de 3 a 1 para a Rússia. Neste domingo, a equipe caiu na disputa do terceiro lugar e não conseguiu o bronze.
continua após publicidade