Esportes

Procura por ingressos aumenta antes de jogo do Brasil

Da Redação ·
Os apelos da CBF para encher o Morumbi na partida desta tarde entre a seleção brasileira e a África do Sul, que contaram até com comercial de TV "conclamando" os pais a levarem os filhos ao estádio, parecem que vão dar resultados. Entre o fim da manhã e o início da tarde desta sexta-feira, as bilheterias receberam um bom movimento, com filas que sempre tinham, no mínimo, 150 pessoas. Até a noite desta quinta-feira, 40 mil bilhetes haviam sido vendidos, de acordo com a Federação Paulista de Futebol, da carga total de 64.147. O técnico Mano Menezes

fez uma "previsão" de que pelo menos 55 mil pessoas assistirão à partida no estádio. Antes do início do jogo, marcado para as 15h45, a CBF vai fazer homenagem a alguns jogadores campeões do mundo na Suécia, em 1958. Estarão no Morumbi, de acordo com a entidade, o volante Dino Sani, o goleiro Gylmar e o meia Moacir, reserva na campanha do título. Além deles, o zagueiro Bellini, os laterais-direitos Djalma Santos e De

Sordi e o lateral-esquerdo Nilton Santos serão representados por parentes. Todos receberão, das mãos de Bebeto, atacante titular na conquista do tetracampeonato, em 1994, nos Estados Unidos, e atualmente membro do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014, placa e medalha. No dia 15 de agosto, no amistoso em que o Brasil bateu a Suécia por 3 a 0, no Estádio Rasunda, em Estocolmo, Pelé, Zito, Pepe e Mazola foram homenageados. O goleiro Oberdan Cattani, que marcou época no Palmeiras e jogou na seleção na década de 1940, também receberá homenagem. Os hinos nacionais do Brasil e a África do Sul serão executados pela Orquestra Bachiana do Sesi, regida pelo maestro João Carlos Martins. Os portões do Morumbi foram abertos às 13 horas e o público ocupa aos poucos as arquibancadas e numeradas.

continua após publicidade