Esportes

Ex-número 1, Roddick perde e chora em despedida

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 5 de setembro (Folhapress) - A mulher do ex-número 1 do mundo já mostrava os sinais do fim no meio do sétimo game do quarto set. Mesmo com óculos escuros, era visível que Brooklyn Decker tentava esconder a emoção de ver pela última vez o marido Andy Roddick, 30 em uma partida oficial. O tenista norte-americano se aposentou hoje do circuito profissional ao perder para o argentino Juan Martin Del Potro por 3 sets a 1, com parciais de 6/7 (1-7), 7/6 (7-4), 6/2 e 6/4, nas oitavas de final do Aberto dos EUA. Ao dar entrevista ainda em quadra, ele chorou. Roddick deixa o tênis após enfrentar uma série de lesões nos últimos meses. Ele deixa o circuito como o último tenista dos EUA a conquistar um Grand Slam. Dono de um dos serviços mais potentes do circuito, Roddick termina a carreira com 612 vitórias e 212 derrotas. Ele é o 17º tenista mais vitorioso da história -o compatriota já aposentado Jimmy Connors é o primeiro, com 1.242 triunfos. O auge do tenista foi em 2003. Naquele ano, conquistou o Aberto dos EUA e terminou a temporada como número 1 do mundo. Além do Grand Slam de Nova York, ganhou outros 31 torneios a partir de 2001. Ele ainda vice-campeão em outros 20 torneios, entre eles Wimbledon-2004 e 2009 e Aberto dos EUA-2006. Atualmente, Roddick ocupa a 22ª posição no ranking da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). Somente em premiações, ele ganhou cerca de US$ 20,5 milhões durante a carreira. Djokovic Atual campeão do Aberto dos EUA, o sérvio Novak Djokovic garantiu vaga nas quartas de final depois que o suíço Stanislas Wawrinka, lesionado, abandonou a partida. Quando Wawrinka desistiu, Djokovic já havia vencido dois sets e estava ganhando o terceiro por 3 games a 1. Número dois do mundo, o sérvio enfrentará o argentino Del Potro na próxima fase.  

continua após publicidade