Esportes

História mostra que time é favorito para cair

Da Redação ·





Por Rafael Reis e Rafael Valente

SÃO PAULO, SP, 5 de setembro (Folhapress) - O palmeirense mais apegado aos números tem um motivo adicional para se preocupar, além da difícil fase enfrentada pelo time dentro de campo.

Com 21 jogos no Campeonato Brasileiro e na zona de rebaixamento, o clube passa a jogar contra um retrospecto nada favorável na história do Nacional a partir de 2006.

Foi naquele ano que a fórmula atual - com 20 clubes e quatro rebaixados - passou a vigorar. Desde então ao menos metade das equipes que estavam na zona de rebaixamento até a 21ª rodada confirmaram a queda no final da disputa.

Os piores anos foram em 2006 e 2011, quando três dos quatro clubes na zona de degola até aquela rodada caíram ao término da competição. O lanterna sempre foi rebaixado, a única exceção foi o Fluminense em 2009, quando teve uma das arrancadas mais difíceis do campeonato.

A vida dos que escaparam também não foi nada gloriosa. Apenas três equipes conseguiram deixar a zona da degola e conquistar uma vaga na Copa Sul-Americana - torneio do segundo escalão do continente, mesmo dando vaga à Libertadores para o campeão.

Para o Palmeiras, a situação é mais complicada se considerar o retrospecto nos últimos dez jogos. A equipe somou sete pontos e tem o mesmo desempenho de Sport e Figueirense, ambos na zona da degola - o time catarinense é o lanterna.

O clube, que enfrenta o Sport amanhã (às 21h), em confronto direto entre dois times de dentro da zona de rebaixamento, já está a cinco pontos da primeira equipe fora do grupo do descenso, o Coritiba.

O Atlético-GO, também ente os últimos, somou 11.

Considerando as campanhas de 2006 para cá, o Palmeiras precisaria de pelo menos 46 pontos para evitar com tranquilidade o rebaixamento. Em 2009, o Coritiba, último rebaixado, fez 45 e é o clube que "ostenta" a melhor campanha entre os rebaixados.

Para alcançar essa pontuação, o Palmeiras tem vencer todos os jogos como mandante (oito, no total) e conquistar cinco pontos como visitante (são nove jogos).

Secando

O atacante Luan assumiu hoje que está secando os adversários na disputa para permanecer na Série A do Brasileiro.

"A gente torce sim para que as equipes que estão mais em cima tenham resultados ruins. Mas temos que primeiro fazer a nossa parte", falou o jogador.

Apesar da situação difícil, Luan mostrou confiança na volta por cima e deu uma fórmula bem simples para o Palmeiras se recuperar no campeonato.

"Os erros [que não podemos cometer] são tomar gol e ir lá na frente e não fazer [gols]", afirmou.

Barcos

O atacante Hernán Barcos viajou para sua estreia na seleção argentina com uma missão dada pelo Palmeiras.

O centroavante recebeu a incumbência de entregar a Messi uma camisa personalizada do clube.

Por renovação, Palmeiras oferece R$ 700 mil e contrato até 2015 para Scolari

Além do craque do Barcelona, o técnico Alejandro Sabella e dirigentes da AFA (Associação de Futebol da Argentina) também serão presenteados com uniformes palmeirenses.

Barcos foi convocado pela primeira vez para a seleção e participará das partidas contra Paraguai e Peru (7 e 11 de setembro, respectivamente), pelas eliminatórias sul-americanas da Copa-2014.

O centroavante é desfalque certo do Palmeiras amanhã contra Sport, e Atlético-MG, no domingo. E também não deve enfrentar o Vasco, no dia 12.
 

continua após publicidade