Esportes

Brasileiro que venceu Pistorius vira "superstar" e minimiza polêmica

Da Redação ·

Por Jairo Marques, Enviado especial* LONDRES, REINO UNIDO, 3 de setembro (Folhapress) - Após ter questionado a vitória do corredor brasileiro Alan Fonteles, ontem, nos 200 m rasos, o atleta sul-africano Oscar Pistorius voltou atrás hoje. Ele cumprimentou e parabenizou o adversário. Fonteles também é biamputado e usa o mesmo tipo de prótese que Pistorius, que reclamou muito sobre a alteração de altura do brasileiro. Na regra paraolímpica, pode haver ajuste de altura dos para-atletas que usam prótese, dentro de um limite, seguindo uma lógica de crescimento. Fonteles, que tem 20 anos, "cresceu" de 1,76m para 1,81m. O Comitê Paraolímpico Internacional, que fez a premiação de ouro de Fonteles hoje, disse que o procedimento foi legal e que o brasileiro é o novo campeão dos 200 m rasos em sua categoria. Na manhã de hoje, Pistorius resolveu não continuar com a polêmica, após reunião com diretores do comitê internacional, e afirmou que "apertou a mão" do brasileiro após a corrida e que, a partir de agora, vai se preocupar com suas marcas, desejando sorte a Fonteles. Os dois ainda vão se enfrentar mais três vezes no estádio Olímpico de Londres, nos 100 m, 400 m, e no revezamento 4 x 400 m. O paraense Fonteles, que tem Pistorious com ídolo, está sendo tratado pela imprensa britânica como o novo "superstar". Ele lamentou as críticas do sul-africano, mas não entrou em polêmicas. 'Ele não é um mau perdedor, ele é um grande aleta. Só estou triste com a entrevista em que ele disse que minhas próteses são grandes demais", disse o brasileiro. 'Ele ficou incomodado com meu tempo nas semifinais e queria me afetar com a sua polêmica, mas não funcionou. Para mim, ele é realmente um grande ídolo e ouvir isso de um ídolo é duro. Não sei com quem ele está comprando uma briga, mas não é comigo.' A presidente Dilma Rousseff divulgou nota oficial parabenizando o desempenho dos para-atletas brasileiros até agora. *O jornalista viaja a convite do Comitê Paralímpico Brasileiro  

continua após publicidade