Esportes

Experiência olímpica dá tranquilidade para Tiago Camilo

Da Redação ·
O judô brasileiro vai aos Jogos de Londres sonhando em quebrar um jejum de longos 20 anos sem uma medalha de ouro olímpica. E o atleta que melhor representa essa busca é Tiago Camilo. Há 12 anos na seleção brasileira, ele vai para a sua terceira edição dos Jogos e quer, depois de uma prata e um bronze, finalmente voltar para casa com a medalha dourada no peito. Segundo colocado nos Jogos de Sydney e medalha de bronze em Pequim, Tiago Camilo não chega a Londres como um dos primeiros do ranking de sua categoria. Mas nem por isso ele deixa de ser considerado favorito. É nas grandes competições que a experiência fala mais alto. "A bagagem ajuda bastante, até porque a Olimpíada é uma competição que gera muito estresse psicológico. O atleta tem que ter maturidade para absorver este estresse e não o reverter em algo negativo. A experiência olímpica que já tive vai me dar tranquilidade e segurança. Não vou participar de algo novo em Londres", destacou Tiago Camilo. E tamanha experiência inclui também a frustração de ficar de fora dos Jogos de Atenas, perdendo a seletiva para Hugo Pessanha. Com isso, a pressão por resultados passou a ser algo normal na carreira do judoca, conhecido por seu estilo de luta agressivo, sempre em busca do ippon. "É lógico que a pressão externa sempre vai existir, mas tenho meus objetivos pessoais. Luto com muito amor. A vontade de dar ippon a cada luta é o que me mantém no tatame. O resultado é consequência e nunca chega antes da luta. Sei que se lutar bem o resultado virá."
continua após publicidade