Esportes

João Pedro promete superar desconfiança no Santos

Da Redação ·
Apresentado oficialmente pelo Santos nesta quarta-feira, o meia João Pedro reconheceu não ser uma das contratações de impacto almejadas pelo torcedor, mas prometeu superar essa desconfiança inicial. Formado no Atlético Mineiro, o jogador, de apenas 20 anos, teve passagens pelo futebol português, no Vitória de Guimarães, e italiano, no Palermo, e estava no Peñarol, do Uruguai. "Falta muito para eu ser considerado um reforço de peso, mas quero juntar minha experiência e juventude para ajudar o Santos", disse João Pedro, que garantiu não temer chegar ao time exatamente em um momento de crise. "Estou chegando, futebol é fase. Se o time ganha domingo, tudo volta ao normal. Altos e baixos são normais, embora não seja o timaço do ano passado", completou. O Santos perdeu recentemente os centroavantes Alan Kardec, Rentería e Borges, mas João Pedro ressaltou não possuir as mesmas características desses jogadores. Na semana passada, durante um coletivo, ele foi testado pelo técnico Muricy Ramalho no ataque, ao lado de Neymar, com quem atuou anteriormente nas seleções de base do Brasil. "Não sei definir exatamente em que posição eu jogo. Mas gosto de vir de trás porque tenho dificuldades de jogar de costas. Joguei como segundo atacante no coletivo não tive dificuldades, estava do lado do Neymar, que já conheço", disse. "O que quero é jogar, se for o caso até de goleiro. Estou aqui para ajudar". João Pedro admitiu que ainda não está com o condicionamento físico ideal e, por isso, só poderia atuar em parte do duelo com o Internacional, domingo, em Porto Alegre, caso seja o desejo de Muricy. "Tenho condições de jogar só alguns minutos. No meio ou ataque. Estava de ferias porque a temporada no Uruguai já tinha se encerrado", explicou. Reforço do Santos, João Pedro assinou contrato até 2014 com o clube, que adquiriu 20% dos direitos econômicos do jogador e pode comprar mais 30% quando o acordo for encerrado. O meia, que deixou o Atlético Mineiro em 2010 e foi para a Itália, diz que o poderio do time e o desejo de voltar ao Brasil pesaram na sua transferência. "Meu pensamento era voltar ao Brasil, recuperar o tempo que perdi e o Santos é uma vitrine. Tem um treinador vencedor, que é o Muricy, e o Neymar. Pretendo jogar e me destacar".
continua após publicidade