Esportes

Corinthians e Boca iniciam grande final da Libertadores

Da Redação ·
 Corinthians e Boca iniciam hoje à noite a grande final da Libertadores/2012
fonte: Nelson Almeida/AFP
Corinthians e Boca iniciam hoje à noite a grande final da Libertadores/2012

Finalmente chegou a hora do primeiro encontro entre Corinthians e Boca Juniors pela final da Libertadores, no duelo que vale a afirmação e fim da cobrança para um, e supremacia histórica para o outro. O Corinthians vai mal no Brasileirão, apesar da vitória no clássico contra o Palmeiras no domingo. Mas... Quem liga? Todos admitem que só pensam na Libertadores e, na competição, o momento é o melhor possível. Depois de uma primeira fase sem sustos, assim como as oitavas de final, passou por dois rivais “caseiros” nas quartas e na semi – Vasco e Santos. Este último, em dois embates épicos, o que encheu de moral um time já muito pressionado. O Boca Juniors perdeu o Campeonato Argentino no último domingo, mas parece não ter ligado muito. Jogou a última rodada com poucas chances de título e, também por isso, jogou com time reserva. Ainda joga a final da Copa da Argentina. Na Libertadores, foi “comendo” pelas beiradas. Começou mal, perdeu em casa para o Fluminense e acordou de vez. Quando todos foram reparar, o time já estava na final. A perda do Clausura não doeu, e o Boca chega forte para a final. O Corinthians não é dependente de uma estrela. O time de Tite não costuma sentir quando um ou dois jogadores vão mal – porque o conjunto dá conta do recado. Mas tem pelo menos uma força em cada setor. Chicão é a experiência na zaga, a dupla de volantes Paulinho e Ralf marca e avança e Emerson “Sheik” é o incansável desbravador de defesas. Este, mesmo quando não está em grande dia, dá trabalho pela experiência. Assim foi no primeiro jogo contra o Vasco. No Boca, brilha a estrela solitária de Riquelme. E o craque parece viver mais uma grande fase. O início, assim como o time, não foi bom. Mas o futebol do argentino foi evoluindo e, dentro de um esquema em que joga livre, protegido por três volantes, vem resolvendo. É frio o bastante para não sofrer pressão na final e pode dar a sétima Libertadores ao Boca. Dessa vez em voo quase solo. O Corinthians nunca esteve tão perto quanto agora, e a pressão da torcida pelo título vem crescendo a cada fase. O time de Tite é tarimbado e não parece sofrer com isso. Mas só será possível saber quando os jogadores encararem a Bombonera. O Boca joga sua 10ª final de Libertadores, tem seis títulos e parece longe de sentir pressão. Mas a conquista este ano ganhou contornos ainda mais históricos: se vencer, iguala os sete canecos do Independiente.  

continua após publicidade