Esportes

Projeto de lei propõe novo nome para o Estádio Bom Jesus

Da Redação ·
 Projeto de lei propõe novo nome para o “Bom Jesus”
fonte: Sérgio Rodrigo
Projeto de lei propõe novo nome para o “Bom Jesus”
continua após publicidade
Depois de 45 anos de existência, o Estádio Bom Jesus da Lapa, de propriedade do Município de Apucarana, poderá ter um novo nome. É o que propõe o vereador José Airton Araújo, o “Deco”, que apresentou projeto de lei na Câmara Municipal, propondo que a praça esportiva passe a ser denominada de “Estádio Olímpio Barreto”.
 
A proposta visa homenagear o pioneiro apucaranense que, em 1965, aceitou permutar dois alqueires de terras de seu sítio, nas cercanias da Vila Nova. Em troca ele e a família receberam duas datas na antiga área do campo do extinto Grêmio Esportivo e Recreativo de Apucarana (Gera).
 
O vereador Deco justifica que Olímpio Barreto era um apaixonado pelo Gera, que depois deu lugar ao Apucarana Futebol Clube. “O pioneiro, já falecido, abriu mão de um valioso patrimônio, para ver concretizado o sonho de Apucarana dispor de um estádio de futebol”, argumenta o vereador, que teve seu projeto aprovado por unanimidade, em primeira votação.
 
Segundo o filho de Olímpio Barreto, o comerciante João Francisco Barreto, 66 anos, a família está contente e orgulhosa com a homenagem. Porém, ele considera que o mais justo seria que o estádio fosse denominado de “irmãos Barreto”.
 
“Meu pai Olímpio e meu tio José Barreto eram fanáticos pelo Apucarana e aceitaram transferir uma área de dois alqueires de pastagem - que tinha um valor bem maior - para a construção do estádio, ficando com duas datas da antiga área do Gera”, lembra João Francisco Barreto.
 
Ele faz questão de explicar que os dois eram donos da área e que ambos não faltavam sequer a treinos do Apucarana. “Se existe algum reconhecimento e mérito pelo que foi feito, isso deve ser estendido aos dois irmãos, Olímpio e José, e não apenas ao meu pai”, frisa.
 
Olímpio faleceu em 1985, vítima de um atropelamento na cidade. Já seu irmão, José Barreto, morreu bem antes, na década de 70, aos 47 anos, num acidente de trabalho. A família entrou no lote da Companhia Norte do Paraná de Terras no ano de 1949 e, gradativamente, formou cafezais, outras lavouras e pastagens. Com o crescimento de Apucarana, o sítio ficou praticamente dentro da cidade.
 
Na área se formaram vários loteamentos como o Flamingos, Nossa Senhora de Lourdes e Independência. O último lote foi vendido para sediar a FAP.
 
ALGUMAS CURIOSIDADES - O Estádio Bom Jesus da Lapa já sediou bons eventos e grandes duelos em amistosos e partidas válidas pelo Campeonato Paranaense. Com exceção do Corinthians, os outros três principais clubes de São Paulo já atuaram na praça esportiva.
 
Na inauguração do estádio em 1967, o Palmeiras venceu o Apucarana Futebol Clube (AFC) por 3 a 1.
 
O Santos jogou duas vezes no “Bom Jesus”. Em 1989, o “Peixe” bateu o Apucarana Atlético Clube (AAC) por 3 a 2. Nesta partida mais de dez mil pessoas assistiram ao amistoso. No entanto, o público divulgado foi de oito mil. Já em 2002, com Diego e Robinho na equipe, o Santos derrotou o Roma por 1 a 0, com gol de William, que atualmente veste a camisa do Atlético-GO.
 
Em 1991, quem jogou na “Cidade Alta” foi o São Paulo, que tinha o comando de Telê Santana e no elenco contava com Zetti, Cafu, Antônio Carlos, Bernardo, Raí e Elivélton. O Tricolor do Morumbi ganhou do AAC por 1 a 0, com gol do atacante Mário Tilico.
 
As principais equipes do Estado como Atlético, Coritiba e Paraná jogaram várias vezes no local, enfrentando AFC, AAC e o Roma Esporte, time este que no estádio disputou o Brasileiro da Série C em 2007 e a Copa do Brasil em 2008.
 
A maior goleada no local foi em 2001, quando o Roma venceu o Tamandaré, de Almirante Tamandaré, por 10 a 0. O jogo foi válido pela segunda fase da Terceira Divisão do Estadual.