Esportes

Dinei diz que ia a festas de Adriano e critica amigo por não saber hora certa de cair na gandaia

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dinei diz que ia a festas de Adriano e critica amigo por não saber hora certa de cair na gandaia
fonte:
Dinei diz que ia a festas de Adriano e critica amigo por não saber hora certa de cair na gandaia

Embora sejam amigos, Dinei não poupou Adriano pela sua fracassada passagem pelo Corinthians. Ídolo alvinegro, o ex-atacante disse em entrevista ao R7 que faltou ao colega respeito aos torcedores. Assumidamente baladeiro, o xodó da Fiel explicou que o jogador precisa entender que existe o momento certo de cair na noite.

continua após publicidade

— Eu era da noite. O Vampeta, o Luisão, o Edilson. Mas a gente tinha consciência. Quando o time perdia, a gente não saía. Também não somos burros, tem que respeitar o torcedor. Aí quem deu o fora foi o Adriano, não o Corinthians. Quando você está voltando de cirurgia, tem que se dedicar ao máximo. Aí depois você sai na noite. Quando você está jogando, fazendo gol, time ganhando, aí ninguém vai encher o saco. Eu operei meu joelho sete vezes. Toda vez que eu operava, eu não saía. Aí quando eu começava a fazer gol, o time ganhar, eu saía. Quando perde, você tem que dar um passo atrás e respeitar o torcedor.

A noitada foi o principal motivo de Adriano não ter dado certo no Corinthians. Faltas em sessões de fisioterapia e em treinamentos, sem justificativa, acabaram com a paciência de Tite e da diretoria. Apesar de criticar a falta de comprometimento do atleta, Dinei assumiu que frequentava as festas de Adriano.

continua após publicidade

— Eu ia e levava umas meninas. Ele convidava a gente. Eu levava umas amigas. Mas prefiro não falar muito disso.

Dinei acredita que atualmente os atletas são tão blindados que têm até medo de sair. Para ele, assumir-se baladeiro até diminuiu a perseguição da imprensa. Os resultados do estrelado time do Corinthians de 1998 a 2000 também ajudavam: foram quatro títulos. Porém, o artilheiro lembra que é necessário entender a responsabilidade que vem com a “gandaia”.

— Quanto mais a gente saía, mais responsabilidade a gente tinha. Se alguém visse a gente na noite, a gente já sabia que no campo tinha que corresponder, senão ia vir cobrança. O Vampeta ia para a noite todo dia e no físico ele corria como o diabo foge da cruz.

Corintiano fanático, Dinei também falou sobre as chances do seu time do coração na Libertadores deste ano. Ele esteve perto de conquistar o maior sonho da torcida alvinegra em 1999 e 2000, mas em ambas as ocasiões a equipe terminou eliminada pelo Palmeiras, nos pênaltis.