Esportes

Médico culpa Ferrari pelo mau desempenho de Massa

Da Redação ·
Felipe Massa quase morreu ao ser atingido por mola do carro de Rubinho
fonte: Getty Images R7.com
Felipe Massa quase morreu ao ser atingido por mola do carro de Rubinho

ice-campeão mundial em 2008, Felipe Massa está em baixa. Dois anos após sofrer um acidente grave nna Hungria, completados na última segunda-feira (25), o brasileiro da Ferrari encarna o papel de escudeiro do espanhol Fernando Alonso.

continua após publicidade

Massa sofreu o mais grave acidente de sua carreira no treino classificatório no circuito de Hungaroring. No dia 25 de julho de 2009, uma mola se soltou da Brawn do brasileiro Rubens Barrichello e atingiu a cabeça do ferrarista. Desacordado, o piloto bateu de frente contra a barreira de pneus.

continua após publicidade

Ele foi operado e ficou internado por dias no Hospital Militar de Budapeste. Na volta ao Brasil, seguiu direto para o Albert Einstein. O médico Dino Altmann encontrou Massa ainda na Hungria e acompanhou a continuidade do processo de recuperação do piloto em São Paulo.

continua após publicidade

Para o profissional, porém, a má fase não tem nada a ver com o piloto, muito menos com o acidente:

- É a Ferrari que não anda. Não adianta colocar a culpa nele.

continua após publicidade

De acordo com Altmann, Massa não sofre mais com nenhum tipo de problema em decorrência da pancada:

- Ele não tem mais que voltar no médico e há muito tempo nem passa no médico por causa disso, não tem qualquer tipo de sequela ou limitação.

continua após publicidade

O Grande Prêmio da Hungria foi a 10ª etapa da temporada de 2009. Após o acidente, Massa perdeu as oito últimas corridas do campeonato. Liberado pelos médicos, ele retornou em 2010, mas ainda não conseguiu voltar ao lugar mais alto do pódio e tampouco fez uma pole position.

continua após publicidade

A última temporada de sucesso de Felipe Massa foi em 2008. A pole position e a vitória mais recentes foram registradas no Grande Prêmio do Brasil, mas não serviram para impedir o título mundial do britânico Lewis Hamilton (McLaren) por apenas um ponto.

Em 2009, a Ferrari começou em baixa e o brasileiro completou apenas uma das primeiras três corridas do ano. Antes do acidente, Massa e a escuderia demonstravam claros sinais de evolução - o piloto foi o terceiro no Grande Prêmio da Alemanha, etapa que antecedeu a prova na Hungria.

continua após publicidade

A queda de Massa coincide com a chegada à Ferrari de Fernando Alonso, bicampeão mundial, em 2010. O brasileiro, na escuderia desde 2006, já dividiu a garagem com o alemão Michael Schumacher, dono de sete títulos, e com o finlandês Kimi Raikkonen, campeão uma vez, mas nunca foi tão inferior a seu parceiro como vem sendo em relação ao espanhol, de acordo com levantamento do jornal "Folha de S.Paulo".

Fernando Alonso e Felipe Massa disputaram 29 corridas juntos, das quais o espanhol venceu seis e foi pole em duas. O brasileiro superou o parceiro apenas em quatro treinos de classificação e em oito provas. Nesta temporada, ele é o único piloto do grid que ainda não conseguiu largar à frente do companheiro de equipe.

Com a perda de terreno gradual de Felipe Massa, surgiram boatos sobre uma possível saída da Ferrari. No entanto, de acordo com o italiano Luca di Montezemolo, presidente da escuderia, o piloto brasileiro permanecerá até o final de seu contrato, em 2012.

Com 216 pontos em 10 etapas, o alemão Sebastian Vettel lidera o Mundial. Felipe Massa, com 154 pontos a menos, ocupa a sexta colocação - o melhor resultado em 2011 foi o quinto lugar repetido na Malásia, no Grande Prêmio da Europa e na Alemanha. Ele tem uma nova chance para quebrar o tabu de vitórias neste domingo, justamente na Hungria, onde no ano passado foi obrigado pela equipe a ceder a vitória a Alonso no dia em que o acidente completaria um ano.