Mais lidas
Especial

Saúde alerta para diferença entre gripe e resfriado

.

 Secretaria Estadual da Saúde alerta para a diferença entre a gripe e o resfriado. Foto: Divulgação
Secretaria Estadual da Saúde alerta para a diferença entre a gripe e o resfriado. Foto: Divulgação

Com a proximidade do inverno, que inicia neste dia 21 de junho, a Secretaria Estadual da Saúde alerta para a diferença entre a gripe e o resfriado, doenças respiratórias muito comuns desta época do ano e que provocam reações similares.Resfriados possuem sintomas leves, como pouca ou nenhuma febre, espirros e coriza, que não comprometem o estado geral do paciente. Já a gripe, causada pelos vírus influenza, é uma doença com sintomas mais graves, como febre alta, fadiga e comprometimento respiratório. 

Cuidados Básicos
Uma das maneiras mais fáceis dos vírus da gripe e do resfriado serem transmitidos é pela tosse ou espirro das pessoas infectadas. Para prevenir-se contra estas doenças, a Secretaria de Estado da Saúde reforça que cuidados básicos podem fazer toda a diferença. “A boa higiene das mãos é uma ótima forma de se prevenir contra a gripe e o resfriado. Por isso lembre-se de sempre lavar as mãos com água e sabão e, em épocas de frio, evite lugares com muitas pessoas e pouca circulação de ar”, orienta o coordenador do Centro Estadual de Epidemiologia, João Luiz Crivellaro. 

Tratamento
Uma das principais armas no combate à influenza é o Oseltamivir (popularmente conhecido como Tamiflu). Este medicamento é indicado para todas os pacientes que apresentarem suspeita de gripe. “O Oseltamivir é um antiviral específico para o tratamento de influenza e o Paraná mantém um estoque regulador deste medicamento, suficiente para atender a demanda da população”, ressaltou Renato Lopes. Neste ano, o Paraná registrou 1.554 notificações de suspeita do vírus influenza, sendo que há aproximadamente 930 mil cápsulas do antiviral em estoque.Uma das pessoas que vivenciou a experiência de ter que tomar o Oseltamivir foi Carmem Letícia Galarda, advogada curitibana de 29 anos. Ao sentir os primeiros sintomas, Carmem foi a uma unidade de saúde e lá recebeu o antiviral.“Eu comecei a passar muito mal, não tinha forças para sequer sair da cama. Sentia muita dor de cabeça, cansaço, febre. Fui a um posto de saúde e lá me indicaram este remédio. Ele realmente funciona, melhorei completamente”, destacou.

Agilidade
Para a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini, é essencial a agilidade em iniciar o tratamento para evitar que os sintomas se agravem. A recomendação se reforça principalmente para pessoas que já possuam alguma fragilidade anterior, como diabetes, doenças respiratórias, cardíacas, ou que têm a imunidade baixa por outras causas.

“A introdução precoce do oseltamivir diminui as taxas de mortalidade, principalmente se o tratamento for iniciado nas primeiras 48 horas dos sintomas, como febre alta e dificuldades para respirar”, explica a médica.O medicamento está disponível em toda rede pública de saúde e para retirá-lo é necessária a prescrição médica, seja do SUS ou do sistema privado.

Boletim
Dados do Boletim da Gripe mostram que foram registrados 105 casos da doença no Paraná em 2017, sendo 10 óbitos relacionados à influenza.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber