Especial

'BR' gera insegurança em Apucarana

Da Redação ·
 Avenida já registrou dois acidentes com morte neste ano
fonte: Delair Garcia
Avenida já registrou dois acidentes com morte neste ano

Cercada por loteamentos, um parque industrial e um dos bairros mais populosos da cidade, a Avenida Governador Roberto da Silveira, o trecho urbano da BR-369, em Apucarana, vem se tornando sinônimo de insegurança para quem precisa trafegar pela via. Com sinalização e fiscalização deficitárias, o trânsito na avenida já fez duas mortes neste ano. A mais recente, de uma jovem de 18 anos, foi nesta semana. Jéssica Borbolato estava na garupa de uma motocicleta, quando o veículo colidiu com um caminhão, de Sarandi. A moça ficou internada por 11 dias no Hospital da Providência até falecer na segunda-feira.

continua após publicidade


Fatais ou não, os acidentes na Governador Roberto da Silveira estão entre as ocorrências mais temidas por quem vive no Núcleo Habitacional João Paulo. O mecânico Elias Israel dos Santos, morador do bairro há 27 anos, relata que já viu mais de 10 colisões próximo à entrada do núcleo. “O trânsito está ruim em todo o lugar, mas ali ainda está pior. Ficamos muito preocupados com essa situação”, diz.


Para o vendedor Marcelo Miquelin, que trabalha nas imediações da avenida, o ideal é que a Governador Roberto da Silveira recebesse um semáforo ou pelo menos uma lombada no trecho próximo ao núcleo. “O pessoal vem do centro de Apucarana em uma velocidade muito alta. Por isso, precisamos de um redutor”, salienta.

continua após publicidade


O comerciante Ilderley Leandro Vanzella também analisa que a avenida precisa passar por intervenções para garantir mais segurança não só para os moradores do João Paulo, mas para todos os condutores e pedestres. “Uma rotatória também poderia ajudar o trânsito a fluir melhor naquela região, evitando acidentes e, assim, salvando vidas”, define. Com propriedades perto da avenida, o presidente do Sindicato Rural Patronal de Apucarana, Jorge Nishikawa, sustenta que é necessário que a Prefeitura estude vias alternativas para intermediar o acesso entre o João Paulo e o Parque Industrial Oeste.


“A construção de uma passarela seria interessante, o que já é reivindicado há mais de cinco anos”, pontua.

continua após publicidade

'Ações dependem do DER’


Embora tenha conhecimento sobre as reivindicações da população sobre a Avenida Governador Roberto da Silveira, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Apucarana aponta que o município não tem poder para fazer intervenções na via. Segundo o órgão, por ser uma rodovia, a avenida estaria ainda sob responsabilidade da concessionária Viapar.


Procurada pela Tribuna, a concessionária Viapar, também através da assessoria de imprensa, diz que depende de autorização do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para executar ações na Governador Roberto da Silveira, como a instalação de um semáforo, construção de passarela e até mesmo quebra-molas. A instalação de radares no trecho também depende de um convênio entre o DER e a Prefeitura de Apucarana. De acordo com a assessoria, a concessionária está trabalhando no conserto do asfalto e alteração da sinalização da via. Há duas semanas, a presidência da Viapar se reuniu com a Prefeitura e recebeu uma lista com demandas urbanas para analisar. Um retorno deve ser dado ao município nos próximos dias. (A.L.)