Especial

Militares enviados ao Haiti retornam

Da Redação ·
 Sargento Fábio Ferri com a esposa e os filhos: contando as horas para o retorno
fonte: Sérgio Rodrigo
Sargento Fábio Ferri com a esposa e os filhos: contando as horas para o retorno

Uma lição para toda a vida. Foi o que os militares do 30º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), de Apucarana, trouxeram na bagagem da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) que cumpriram em Porto Príncipe, no Haiti. Após seis meses longe de casa, eles puderam rever familiares e amigos no domingo, quando chegaram à cidade. Um grupo com 27 soldados foi recepcionado na rodoviária com faixas e cartazes.

continua após publicidade


De férias até a segunda quinzena de fevereiro, os militares agora descansam para retomar as atividades no 30º BIMtz. A intenção é recuperar as forças e aproveitar o tempo ao lado da família. O sargento Fábio Ferri, 36 anos, que ajudou a comandar a equipe de Apucarana na capital haitiana, relata que estava ansioso para abraçar a esposa e os filhos novamente. “A saudade deles era muito grande”, define.


Tantos meses em um país devastado pelos terremotos do ano passado fizeram com que Ferri colocasse em prática ensinamentos aprendidos no 30º BIMtz. “Pude trabalhar em um batalhão constituído só por profissionais, 24 horas por dia. Tivemos condições de reciclar nossos conhecimentos. Se pudesse ir novamente apoiar quem precisa, eu iria. Nós cumprimos nossa missão por lá”, comenta Ferri, ao assinalar que, apesar dos esforços, a reconstrução do Haiti ainda é lenta.

continua após publicidade


A esposa dele, a fisioterapeuta Mara Ferri, comemorou a volta do sargento. “Conversávamos quase todos os dias por Skype ou telefone. Mesmo assim, foi um período difícil. As crianças estavam contando as horas para vê-lo”, afirma.


Para o cabo Diego Archetti dos Santos, 21 anos, participar da missão de paz da ONU contribuiu para que ele enxergasse o Brasil de uma forma diferente. Pela primeira vez fora do país, o jovem pôde ajudar a instruir os haitianos sobre a prevenção da cólera, além de manter a segurança em Porto Príncipe. “A gente volta e dá valor ao nosso país”, assinala.


Sete dos 34 militares de Apucarana enviados ao Haiti ainda não retornaram. Eles devem chegar nos próximos dias. Antes de embarcar para a cidade, os soldados também vão passar por Curitiba, a fim de serem submetidos a exames de saúde. Depois que todos voltarem, eles serão reunidos em uma formatura no 30º BIMtz.


VISITA – Hoje à tarde, a unidade militar realiza uma formatura em despedida ao comandante da 5ª Divisão de Exército, general Adhemar da Costa Machado Filho. Ele está em visita nos Tiros de Guerra sob a responsabilidade do 30 BIMtz desde o dia 30 de janeiro.