Especial

Apucaranense faz história no Corpo de Bombeiros

Da Redação ·
Soldado Ludiellen de Souza Lourenço
fonte: Delair Garcia
Soldado Ludiellen de Souza Lourenço

Nesta semana o Corpo de Bombeiros de Apucarana recebeu o reforço de cinco novos membros. São jovens soldados selecionados no último concurso e formados no curso realizado pelo Estado. Entre os ingressos no serviço de urgência e emergências está uma mulher. A primeira soldado feminina no Sub-grupamento Independente do Corpo de Bombeiros do município e da região. Com 21 anos, Ludiellen de Souza Lourenço sempre admirou o trabalho dos ‘soldados do fogo’ e decidiu ser um deles.

continua após publicidade

Com a abertura de mais vagas para mulheres na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros, no concurso público de 2010, Ludiellen fez sua capacitação com 46 homens e mais uma mulher no 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Maringá. Ela conquistou a 1º colocação no curso e o 5ª lugar na classificação geral no Paraná. Com isto pode escolher o quartel onde queria trabalhar. A opção lógica foi por Apucarana, onde nasceu e mora com a família. O primeiro turno de trabalho da bombeira foi encerrou na manhã de ontem.

Lotada como socorrista na ambulância, a jovem afirma não ter receio dos riscos que os bombeiros se expõem. “Eu gosto e admiro o trabalho deles. Agora minha maior satisfação vai ser exatamente fazer isto, porque tudo o que a gente faz, apesar do risco, é pelo bem de alguém, o que é extremamente gratificante”, disse a soldado.

continua após publicidade

Ludiellen fazia o curso de Processos Químicos na Universidade Tecnológica Federal (UTFPR) de Apucarana, quando foi aberto o concurso. Ela não hesitou em se inscrever. “Eu sempre quis ser bombeira, mesmo antes das mulheres serem admitidas na corporação. Na verdade fui abençoada por Deus, porque no momento que atingi a maioridade, o espaço para mulheres foi concedido e tive a oportunidade de prestar o concurso”, acredita.

Ela revela que se preparava fisicamente imaginando que um dia teria oportunidade de ser aceita no Corpo de Bombeiros. Ser a primeira bombeira de Apucarana para Ludiellen tem sensação especial. “É um privilégio, e tomara que eu seja a primeira de muitas apaixonadas por esta profissão e que se esforcem para ser excelentes profissionais”, sugere.

Ela conta com a cooperação e respeito de seus colegas de farda. “Acho que vai ser bastante tranquilo e não vou ter problemas”. Apesar do quartel não estar adaptado ainda para receber mulheres, um espaço privativo para a soldado deve ser reservado no alojamento do quartel. Os bombeiros têm escala de serviço de 24 horas, portanto, o prédio oferece acomodações caseiras, como quartos, cozinha e refeitório, onde eles ficam em alerta e onde convivem durante o período que não estão em ocorrências.

continua após publicidade

Duzentas foram incorporadas

continua após publicidade

Com a oportunidade aberta na carreira militar, são 200 as mulheres incorporadas no Corpo de Bombeiros e outras 550 estão em formação para o ingresso na Polícia Militar do Paraná. É a força feminina. Para Ludiellen, a eleição de Dilma Rousseff (PT) para a presidência da República deve alavancar o crescimento da participação feminina na sociedade.

“Foi uma conquista, entre muitas que virão ainda. Já conquistamos espaço e agora é questão de reconhecimento”, diz. A jovem integrante do Corpo de Bombeiros tem outras metas. “Quando estiver organizada com horários de trabalho vou retomar o curso que fazia na UTFPR e fazer cursos específicos na corporação. Espero corresponder com os anseios da comunidade”, finaliza. Um projeto de ampliação do prédio central dos bombeiros, na rua Ponta Grossa, está em análise junto ao Governo do Estado. Com o aumento estrutural a unidade deve ser preparada para receber mais bombeiras.