Especial

UTFPR lidera em índice do MEC

Da Redação ·
 Investimento em estrutura e qualificação docente contribuiu para resultado, diz direção da UTFPR
fonte: Delair Garcia
Investimento em estrutura e qualificação docente contribuiu para resultado, diz direção da UTFPR

A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) foi a única das instituições de ensino superior de Apucarana que obteve pontuação acima da média no Índice Geral de Cursos (IGC). Divulgada ontem pelo Ministério da Educação (MEC), a nota, cujas faixas variam de 1 a 5 e os valores contínuos de 0 a 500, aponta a universidade com conceito 4 e IGC 303.

continua após publicidade


Tanto a Faculdade de Apucarana (FAP) e a Faculdade do Norte Novo de Apucarana (Facnopar), ambas da rede privada, como a Faculdade Estadual de Ciências Econômicas (Fecea), da rede pública, mantiveram 3 na escala e índices contínuos de 206, 234 e 228 respectivamente. A pontuação é considerada satisfatória. A Faculdade Apucarana Cidade Educação (Faced) não possui IGC porque não participou do último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que é usado no cálculo da nota.


Para o diretor interino da UTFPR, campus de Apucarana, Manoel Messias Alvino de Jesus, o resultado alcançado pela instituição reflete os investimentos na qualificação dos professores. “Em todos os campus da universidade, é difícil encontrar um docente que não seja no mínimo mestre. A busca pelo aperfeiçoamento é constante, com incentivos para cursos de doutorado e mestrado”, diz.

continua após publicidade


Ele também aponta que a estrutura da UTFPR foi beneficiada pelo Reuni, programa do Governo Federal. “Isso contribui para termos um resultado positivo como esse”, comenta. Somente no ano passado, foram cerca de R$ 5 milhões repassados à universidade.


O diretor da Fecea, Rogério Ribeiro, afirma que o IGC 3 obtido pela faculdade mostra o comprometimento em manter o nível de ensino ofertado.


“Desde que essa avaliação saiu, estamos monitorando o desempenho da instituição. Estamos satisfeitos, mas trabalhando para chegar ao 4 no próximo IGC”, salienta.

continua após publicidade


Além de possuir 70% do corpo docente composto por mestres, a Fecea, conforme o professor, investiu em mudanças na matriz curricular dos cursos oferecidos. “Fizemos ampliações e passamos a atender ainda a pesquisa e a extensão. O resultado é tão bom que o curso de Turismo conseguiu nota 5 no Enade, sendo considerado um dos melhores do Paraná”, pontua.


Na região, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) é apontada como a melhor instituição do Paraná. Na faixa 4, a universidade saiu na frente da Universidade Estadual de Londrina (UEL) com IGC 356, ficando entre as 21 melhores do País. Apesar de ficar na mesma faixa, a UEL obteve índice contínuo de 329, enquanto a Universidade Federal do Paraná (UFPR), 350.


De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o IGC indica a qualidade das instituições voltadas ao ensino superior no Brasil.


O conceito considera o desempenho dos cursos de graduação e pós-graduação oferecidos. Apenas 25 das 2.137 instituições avaliadas pelo MEC alcançaram nota 5. Deste total, 14 são públicas e 11 privadas.