Especial

A lenda do surgimento de Papai Noel

Da Redação ·
 Papai Noel: fama de bom velhinho
fonte: Luiz Demétrio
Papai Noel: fama de bom velhinho

Quem nunca acreditou em Papai Noel? Quem nunca ficou ansioso em sua casa, olhando para a janela de cinco em cinco minutos, esperando a chegada dele – e de seu aguardado e famoso saco de presentes? Real ou não, diz a história que a lenda do bom velhinho é inspirada em um bispo que viveu há muitos séculos.

continua após publicidade

São Nicolau nasceu em 3 d.C, em Patras, na Grécia. Quando seus pais morreram, ele doou todos os seus bens e optou pela vida religiosa. Com apenas 19 anos, foi ordenado sacerdote e logo se tornou arcebispo de Mira.

continua após publicidade

Dizia-se que na cidade em que ele nasceu viviam três irmãs que não podiam se casar por não terem dinheiro para o dote. O pai das meninas resolveu vendê-las, mas antes disso acontecer, Nicolau jogou através da janela da casa deles uma bolsa cheia de moedas de ouro. Ela caiu em uma meia que estava secando na chaminé. Quando o pai descobriu o que havia acontecido, pregou a generosidade de Nicolau a todos.

A fama do bom velhinho, que foi considerado santo pela Igreja Católica, transcendeu sua região e as pessoas começaram a atribuir a ele todo tipo de milagres e lendas.

continua após publicidade

Em meados do século 13, a comemoração do dia de São Nicolau passou da primavera para o dia 6 de dezembro. Na época da Contra-reforma, a Igreja Católica propôs que São Nicolau passasse a entregar os presentes no dia 25 de dezembro, junto com o nascimento do Menino Jesus.

A tradição foi levada para os Estados Unidos com o os holandeses, no século 17. Logo a ideia de Santa Claus foi difundida por todo o novo mundo. Em 1809, o escritor Washington Irving escreveu um livro em que São Nicolau já não usava a vestimenta de bispo, mas sim a tradicional vermelha e branca, sendo que ele montava um cavalo voador e jogava presentes pelas chaminés. Apenas em 1823, um poema de um professor universitário, Clement C. Moore, trocou o cavalo branco por renas que puxavam um trenó.

A partir disso, o velhinho foi ganhando mais companheiros, como os duendes, e foi se tornando mais barrigudo e barbudo.