Especial

É hora de rever os planos!

Da Redação ·
 Comece já a se planejar e vire a página em 2011
fonte: Reprodução
Comece já a se planejar e vire a página em 2011

A mente se transforma em uma tela de cinema nos últimos dias do ano. Diante da retina valseiam cenas que aconteceram e outras que não passam de imaginação. Neste longa-metragem de 365 dias e 8.760 horas, o final nem sempre agrada o autor. A passagem de ano, no entanto, é uma ótima hora para virar a página, segundo o psicólogo Gleyson Reis, 36 anos, de Apucarana. “O réveillon marca o início de uma nova era, em que é possível fazer novas escolhas e viver de um jeito diferente”, acredita.
 

continua após publicidade

De acordo com a psicóloga Isamara Vanessa Holack, 39 anos, de Apucarana, as pessoas tendem a ficar mais sensíveis nos últimos meses do ano. “Isso ocorre por diversos motivos, como o cansaço acumulado durante os meses e o balanço das perdas neste período. Caso haja um déficit, a melancolia pode aparecer”, explica.
 

Esse quadro é mais comum naqueles que têm dificuldades em sentir as conquistas. “Geralmente, são pessoas constantemente insatisfeitas e perfeccionistas, porque o nível de exigência cobrado é maior”, analisa Isamara, que também é terapeuta floral e familiar.
 

continua após publicidade

ESTABELEÇA METAS

Começar o ano cabisbaixo não ajuda em nada. Para alcançar o sucesso, Reis recomenda planejar um roteiro com antecedência. “É preciso estabelecer metas para curto, médio e longo prazo. Além disso, é indispensável se organizar para conseguir realizá-las”, pontua.
 

Ele recomenda anotar os sonhos em uma agenda. “Quando olhar a anotação, a pessoa vai se lembrar da meta e das escolhas que devem ser feitas para atingi-la. Cultivar o sonho vivo nos mantém mais felizes”, afirma.
 

Isamara também concorda que um projeto com novas metas para o ano seguinte faz a diferença. “Com os objetivos escritos fica mais fácil identificar as falhas e, com isso, fazer diferente”, avalia.
 

continua após publicidade


PLANEJE AS FINANÇAS
 

Se parte das frustrações é resultante de um orçamento comprometido, talvez seja hora de fazer ou rever o planejamento financeiro. Mestre em Economia, Tânia Terezinha Rissa de Souza, 39, que leciona na Faculdade de Ciências Econômicas de Apucarana (Fecea), recomenda fazer uma planilha contendo o valor do dinheiro que entra e o que sai. “Com isso fica mais fácil verificar as despesas primárias e cortar os gastos supérfluos”, diz.

Para Tânia, é melhor até deixar de comprar presente para a família toda no Natal a entrar o ano novo no vermelho. “Logo em janeiro e fevereiro há despesas com impostos e material escolar. Se não tomar cuidado, as dívidas viram uma bola de neve”, frisa. Sendo assim, ela recomenda cautela desde os primeiros dias do ano para conseguir alcançar as metas estabelecidas.
 

continua após publicidade

A economista também aconselha fazer uma poupança para eventuais emergências. “Não existe uma fórmula com o valor a ser reservado por todos, mas o ideal para quem ganha de 3 a 5 salários mínimos é de 10%. Essa reserva evita entrar no cheque especial”, ressalta.
 

MELHORE A RENDA

Ainda segundo a mestre em Economia, ao fazer os planos é preciso avaliar quanto tempo vai levar para conseguir o dinheiro. “Neste período, além de fazer economias, em alguns casos é preciso fazer um investimento para aumentar a renda, como pós-graduação ou curso técnico”, orienta.
 

continua após publicidade

Para Tânia, a especialização traz retorno em médio prazo. “É algo indispensável para o mercado de trabalho. Melhora a renda e o ego. Se a empresa atual não comporta o investimento, a pessoa pode mudar de emprego”, diz. Além disso, ela indica fazer ‘bicos’ para aumentar a renda e sair do vermelho.


Orçamento e sonhos sob controle


Antes mesmo se casar, em 2006, a professora de música Patrícia Carolina, 25 anos, e o almoxarife Weverson Gonçalves, 28, já cultivavam o hábito de colocar no papel os seus objetivos, compartilhando o dinheiro e os sonhos. Em quatro anos de união, conseguiram comprar um carro e trocar de apartamento. Com a casa nova também chegou Davi, hoje com nove meses.
 

continua após publicidade

Segundo Patrícia, as anotações facilitam o controle do orçamento. “Com tudo organizado conseguimos direcionar as escolhas para atingir o alvo. A maioria das coisas que planejamos em nosso caderninho é realizada”, diz.

Weverson conta que as orientações recebidas no Ministério de Casais, desenvolvido pela Comunidade Evangélica Nova Aliança, também auxiliam na hora de fazer o planejamento. “Essa dica de anotar os objetivos começou nos encontros da Igreja. Cuidamos das finanças, mas também oramos muito para Deus nos abençoar com suas graças”, comenta.
 

O almoxarife lembra ainda que a família teve papel fundamental para o casal conseguir trilhar sua independência. “Por um período precisamos morar na casa da mãe da Patrícia para economizar e conseguir o dinheiro da entrada no novo apartamento,” detalha. Eles venderam o apartamento que tinham, o carro e ainda pouparam o dinheiro do aluguel.
 

De acordo com Patrícia, os ‘bicos’ feitos por ambos ajudam a aumentar a renda familiar. “Dou aulas particulares e ele trabalha nos finais de semana em uma casa de assados”, diz.


Weverson acredita que vale a pena o sacrifico atual. “É cansativa a rotina de trabalho, mas fazemos isso pensando em nosso futuro, porque não teremos a mesma disposição e saúde de hoje”, observa.
 

O casal também não abusa dos cartões de crédito. “Temos o nosso próprio limite. Dividimos nossos salários e sabemos o quanto podemos gastar por mês para conseguir realizar nossos objetivos”, completa Weverson.