Especial

Protegi perseguido político, como Dilma, diz Saboia

Da Redação ·
Diplomata Eduardo Saboia dá entrevista ao desembarcar em Brasília (Foto: Reprodução/ TV Globo)
fonte:
Diplomata Eduardo Saboia dá entrevista ao desembarcar em Brasília (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Eduardo Saboia, diplomata brasileiro que assumiu ter sido o responsável por trazer o senador boliviano Roger Pinto para o país, disse na madrugada desta segunda-feira (26) que, ao tomar a decisão, quis proteger "um perseguido político, como a presidenta Dilma foi perseguida". Saboia fez a afirmação ao desembarcar no aeroporto de Brasília no início da madrugada.

O senador Roger Pinto Pinto chegou no domingo (25) a Brasília após deixar La Paz com um carro da Embaixada brasileira. O senador estava asilado na embaixada brasileira na Bolívia havia mais de um ano, alegando perseguição política do governo Evo Morales. A vinda dele ao país não havia sido autorizada nem pelo governo boliviano nem pelo brasileiro.

"Eu escolhi a vida. Eu escolhi proteger uma pessoa, um perseguido político, como a presidenta Dilma foi perseguida", afirmou Saboia no aeroporto de Brasília. Ele foi chamado pelo Itamaraty para prestar esclarecimento.


As informações são do G1/Brasília

continua após publicidade