Especial

Apucarana: Diário Oficial do Município era usado para forrar caixões

Da Redação ·
Apucarana: Diário Oficial do Município era usado para forrar caixões
fonte: Sérgio Rodrigo/Tribuna do Norte
Apucarana: Diário Oficial do Município era usado para forrar caixões

Os chamados Diários Oficiais são os veículos de comunicação legítimos de divulgação dos atos públicos por parte dos governos para toda a população. No entanto, essa prática passa longe do que era realizado nas duas administrações anteriores do município de Apucarana. Depois de publicados, milhares de exemplares do Diário Oficial do Município não eram distribuídos e iam parar literalmente debaixo da terra: os jornais eram utilizados para forrar caixões.

O Diário Oficial de Apucarana foi criado através da Lei nº 221, de 2008, na gestão de Valter Aparecido Pegorer (PMDB). “O ex-prefeito (Pegorer) criou esse Diário Oficial justamente com o intuito de esconder informações da população. Exemplo disso,  foi a doação irregular do prédio da Guarda Municipal para o Ceprhusb, entidade que era administrada pelo próprio Pegorer’”, afirma o advogado e atual procurador da Câmara de Apucarana, João Batista Cardoso.
“Milhares de reais eram empregados para publicar os jornais, que eram distribuídos apenas para defuntos”, ressalta João Batista.

A reportagem da Tribuna esteve na Autarquia de Serviços Funerários de Apucarana (Aserfa) e encontrou diversos fardos fechados e empilhados em uma sala que serve como depósito, ao lado de caixões e documentos. Muitos estavam rasgados e amarelados com o tempo, sem nunca terem sido distribuídos para a população. Milhares de exemplares dos ‘Diários Secretos’ apucaranenses estavam estocados no local. Mas a atual administração municipal afirma ter indícios de que toneladas do jornal tiveram essa mesma finalidade.

“Essa situação só demonstra a falta de zelo e de respeito com o dinheiro público por parte das administrações anteriores. Esta é a nossa ‘herança maldita’. Sabemos que muito mais jornais foram utilizados para forrar caixões na Aserfa. Cinco ou seis Kombis lotadas de diários oficiais foram descarregadas na autarquia. Toneladas de jornais”, afirma o prefeito Beto Preto (PT).

O prefeito destaca ainda que o município pretende levar o caso à Justiça. “É lamentável que isso tenha acontecido com a nossa cidade, com o dinheiro do contribuinte, do cidadão apucaranense. Agora iremos juntar todas as provas que temos sobre esse caso e enviar para o procurador do município. Ele irá analisar o material e ver quem é o responsável por isso, para que possamos entrar na Justiça”.

O atual diretor superintendente da Aserfa, Francisley Preto Godoi, afirma que o problema foi constatado logo após a posse da nova administração municipal. “Logo que tomamos posse, descobrimos essa verdadeira ‘montanha’ de fardos de Diários Oficiais empilhados e jogados em um canto. Assim que soubemos que esses jornais eram utilizados para forrar caixões há anos, decidimos acabar com essa prática”.

continua após publicidade