Especial

Número de menores apreendidos por uso de drogas preocupa autoridades

Da Redação ·

A apreensão de quatro menores realizada pela Polícia Militar (PM) quando eles usavam droga no horário em que deviam estar na escola, nesta sexta-feira (15) pela manhã em Apucarana, volta a expor uma problema grave que muitas famílias da cidade enfrentam: a dependência química de adolescentes e até crianças.

Os quatro apreendidos - de 17, 16, 15 e 12 anos - estavam com uniformes escolares e o material de aula quando foram abordados próximo à linha férrea, no final da Rua Osvaldo Cruz, após denúncia de um transeunte. "Com o garoto de 16 anos encontramos maconha no bolso da calça e com o menino de 15 achamos um deschavador da erva. Comunicamos o Conselho Tutelar sobre o caso e encaminhados os menores à 17ª Subdivisão Policial (SDP) para os procedimentos legais", relatou o sargento Carrascozo, da PM.

Os pais e mães dos adolescentes foram informados sobre a apreensão e, apesar do constragimento, estiveram na Delegacia para acompanhar a liberação dos filhos.

Segundo a polícia, o número de crianças e adolescentes atendidos em Apucarana pela rede de tratamento a dependentes de drogas cresceu mais de 50% nos últimos 12 meses.  "São índices alarmantes e temos que envolver toda a sociedade e, principalmente, as famílias na prevenção do problema", afirma o prefeito de Apucarana, Beto Preto (PT).

O tratamento para crianças e adolescentes usuários de drogas é diferente do destinado para um adulto. Conforme especialistas, busca-se na criança reduzir os danos que as drogas causam no organismo, pois o nível de dependência ainda não está instalado e ela geralmente não precisa ser internada.

O Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) prevê que cada adolescente deverá ter um plano individual de atendimento, o chamado PIA, um banco de dados com o histórico dele, atividades e metas.


Leia mais na edição de sábado (16) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná

continua após publicidade