Especial

Servidoras de Apucarana detidas por suposta fraude ganham liberdade

Da Redação ·

A Justiça concedeu alvará de soltura às duas servidoras da Prefehtura de Apucarana detidas por policiais civis, na sexta-feira (1),  sob a suspeição de emiterem notas de recebimentos de itens da merenda escolar sem que as mercadorias fossem entregues de fato.Elas foram autuadas por peculato e ormação de quadrilha e agora vão responder o processo em liberdade.

Segundo a polícia, as detenções ocorreram após denúncia à atual administração municipal dando conta que as duas funcionárias públicas de Apucarana seriam suspeitas de fraudes no processo de recebimento de produtos utilizados na merenda escolar.

continua após publicidade
confira também



As duas teriam assinado nota de recebimento de uma compra feita junto a uma fornecedora de Maringá no total de R$ 50 mil, mas após checagem foi apurado que apenas R$ 30 mil em produtos para a merenda escolar haviam sido entregues.

A nutricionista Mariana Livrari,  do Departamento de Merenda Escolar, e auxiliar administrativa Rosângela Minêo, da Autarquia Municipal de Educação, no entanto, negam que cometeram qualquer irregularidade. Elas afirmam que teriam adotado o procedimento, que sera de praxe, com o conhecimento da Controladoria do município.

"Não devemos nada do que estão nos acusando e isso ainda vai ser provado à Justiça", asseguraram. Elas foram colocadas em lberdade no final da tarde de sábado.