Entretenimento

Warner Music é vendida a investidor por US$ 3,3 bilhões

Da Redação ·
 O grupo Red Hot Chili Peppers, um dos artistas contratados da Warner
fonte: Reuters
O grupo Red Hot Chili Peppers, um dos artistas contratados da Warner

O selo fonográfico americano Warner Music, o terceiro maior do mundo, anunciou que será adquirido por US$ 3,3 bilhões pela companhia Access Industries, do multimilionário russo-americano Len Blavatnik.

continua após publicidade


A Access Industries assumirá a dívida de cerca de US$ 1,9 bilhão da gravadora e pagará US$ 8,25 por ação da Warner Music Group, valor 34,4% acima do preço médio das ações da companhia nas últimas seis semanas (US$ 6,14), informaram ambas as companhias em comunicado.


O reflexo do acordo foi sentido na Bolsa de Nova York, onde as ações da Warner Music chegaram a subir hoje 2,66% no meio do pregão. Desde o começo do ano, quando começaram as especulações sobre a possibilidade da companhia ser vendida, os títulos tiveram forte valorização: 44,05%. No entanto, nos últimos cinco anos, a empresa - que deixará de ser cotada na bolsa quando for completada a transação - sofreu desvalorização de 72,41%.

continua após publicidade


"Achamos que esta transação é uma oportunidade excepcional de fortalecer ao máximo nosso valor e responder aos interesses dos acionistas, assim como aos dos admiradores da música, nossos artistas e compositores", disse o presidente e executivo-chefe da Warner Music, Edgar Bronfman.


A companhia, que tem em seu cast grupos como Green Day e Red Hot Chili Peppers, começou em janeiro deste ano um processo de busca de compradores perante a queda nas vendas de discos em todo o mundo, e entre os interessados havia alguns de seus concorrentes, como a Sony Music Group.