Entretenimento

Bruna Surfistinha faz muito sentido para as mulheres, diz diretor

Da Redação ·
 Deborah Secco
fonte: Divulgação
Deborah Secco

Raquel Pacheco, mais conhecida como Bruna Surfistinha, já havia contado toda sua trajetória de adolescente de classe média-alta até prostituta de luxo em um blog na internet e no livro campeão de vendas O Doce Veneno do Escorpião.

continua após publicidade

Agora a história dela chegou aos cinemas e veio com tudo.

O filme Bruna Surfistinha alcançou nesta semana o número de 1 milhão de espectadores. Em cartaz há apenas 10 dias, o longa que tem a atriz Deborah Secco como protagonista está dando o que falar por ter cenas de nudez, sexo e uso de drogas.

continua após publicidade

Marcus Baldini, diretor do filme, conversou com o R7 sobre o sucesso e as polêmicas.

Sobre a marca de 1 milhão de espectadores atingida, ele disse estar feliz, mas ressaltou a dificuldade de chegar tão rápido a um número como esse.

- O filme fez 1 milhão no domingo. Foi surpreendente. A gente já deve estar com 1 milhão e 100 mil hoje. Em apenas dez dias o filme chegou a essa marca. Chegou rápido. A gente esperava um grande interesse do público, mas não sabíamos que seria tão rápido. O público está curtindo e nós só temos que comemorar.

continua após publicidade

O diretor diz que o público tem recebido bem o longa e unindo diversão com reflexão. Ele conta que a produção não tinha ideia de como seria a recepção, já que não existem filmes parecidos no mercado.

- Uma coisa que eu esperava, tinha essa intenção e estou confirmando agora é que o filme faz muito sentido para as mulheres. Elas gostam muito do filme. Tem algo do drama feminino. Dialoga muito com as mulheres. Fico feliz que isso esteja acontecendo.

continua após publicidade

Segundo Baldini, os elogios estão chegando aos montes. Fotografia, nível de produção, elenco, trilha e a atuação de Deborah Secco estão entre os mais elogiados.

- Estamos tendo reações positivas. Acho que o filme deixou de lado aquele preconceito de que essa história não deveria ser contada.

continua após publicidade

As cenas polêmicas fizeram o diretor ter medo de que o público e, consequentemente, a bilheteria fossem reduzidos. Ele diz, no entanto, que fez o filme da forma que achava que deveria ser feito.

- Até por ser meu primeiro filme, essa expectativa de potencial é meio misteriosa. É a primeira vez que estou passando por isso. Mas eu estou aprendendo como funciona o lançamento de um filme. Fiz um trabalho em que acreditava.Sabia que era uma história complicada, com cenas de sexo, drogas, nudez, mas nunca quis que fosse pesado demais. É recomendado para 16 anos.

O estreante na direção de filmes diz que Deborah está super-feliz e satisfeita e que eles, em breve, celebrarão com um "jantar do milhão". Ele também revelou os próximos passos.
- Daqui um mês e meio, a gente vai começar a trabalhar os festivais que não exigem filmes inéditos. É o filme que a gente tem orgulho de ter feito para a bilheteria, para que as pessoas assistam. A gente fez uma opção pelo público e depois festivais. Estou muito ansioso para saber qual vai ser a reação do pessoal nos festivais.

continua após publicidade

Quanto ao medo de que a semana de Carnaval atrapalhasse a bilheteria, Baldini revela que esta semana tem se mostrado muito positiva para os cinemas.

- A média no carnaval costuma render mais do que uma semana comum. Para nós, a semana do carnaval é boa, mas o filme não tem a tendência de subir da mesma forma que filmes infantis neste período.

Ele encerra dizendo que agora é só comemorar o sucesso.

- Vamos comemorar o milhão e esperar o próximo. 

 Colaborou Felipe Gladiador, estagiário do R7.