Entretenimento

Léo rouba os dólares de Silveira

Da Redação ·
 Silveira sofre infarto
fonte: Globo
Silveira sofre infarto

Léo (Gabriel Braga Nunes) é mesmo um homem de muita sorte. E de pouco caráter. Mesmo sofrendo um acidente de moto na estrada a caminho da chácara, ele ganha apenas alguns arranhões. E os ferimentos acabam servindo - sem que ele planejasse - como motivo para que Norma (Glória Pires) cuide dele e o leve para dentro da casa do patrão dela, Silveira (Hugo Carvana).

continua após publicidade


Norma e Léo ficam um tempo juntos, até Silveira começar a tossir e Norma precisar atendê-lo. Léo combina de ir embora e fechar a porta, mas vai para a cozinha e espera escondido. Lá, calça luvas e tira os sapatos. Quando sente que a casa se acalmou, atravessa o corredor de volta, até o escritório. No trajeto, ele se certifica de que Norma e Silveira voltaram a dormir.
 

Revistando todo o escritório com cuidado, Léo encontra uma estante com fundo falso e logo está diante da caixa com os 80 mil dólares de Silveira. Ele pega tudo e vai para a cozinha.

continua após publicidade


Lá, Léo transfere o dinheiro da caixa para um saco plástico, deixando cair algumas notas. Antes de sair, ele se dá conta de que esqueceu os sapatos no escritório. Nesse momento Silveira tosse e acorda Norma de novo.
 

Léo corre para pegar os sapatos e, no caminho, tem que se esconder de Norma. Ela está indo para a cozinha pegar água e o golpista decide fugir pela janela do escritório. A enfermeira encontra a caixa na pia da cozinha e uma nota de 50 dólares caída no chão. Ela leva tudo para Silveira, perguntando o que é aquilo. O aposentado se desespera e a acusa de tê-lo roubado.
 

Ágil, Norma troca de roupa e resolve correr atrás do ladrão. "O senhor vai para o seu quarto, eu volto já!"
 

continua após publicidade

Silveira caminha com dificuldade, arfando, até o escritório, encontra o esconderijo aberto e liga para o seu advogado: "Gomes, meu dinheiro, ela descobriu, me roubou, a Norma...Meus dólares, meu esconderijo, ela descobriu tudo... Socorro, chama a polícia..."
 

Nesse momento, Silveira é interrompido na sua fala por uma forte dor no peito. Ele larga o telefone na mesa e cai no chão do escritório, morto.