Entretenimento

Insensato Coração começa com mais ação e menos personagens

Da Redação ·
 Casal deve roubar a cena na nova produção de Gilberto Braga
fonte: Divulgação
Casal deve roubar a cena na nova produção de Gilberto Braga

Substituta de “Passione”, “Insensato Coração” estreou nesta segunda-feira com a promessa de ser “diferente” das tramas já escrita por Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Ao invés de abordar a alta sociedade, a trama pretende focar nos dilemas da classe média. Isto definitivamente não significa menos glamour e diálogos pouco refinados. Novelas destes autores primam pela sofisticação. E este primeiro capítulo não fugiu à regra. Perfeitamente compreensível, portanto, que vejamos Bete Mendes fazendo citações a música erudita ou a personagem de Paola Oliveira soltando frases como “meu capital é em euro” ao fazer uma proposta de trabalho.
 

continua após publicidade

Como de costume, os diálogos afinados pontuam também cenas de humor e já revela personagens que devem roubar a cena nos próximos meses. Destaque para Natalie Lamour, Roni e André Gurgel, vividos respectivamente por Déborah Secco, Leonardo Miggiorin e Lázaro Ramos. Ambos encontraram o tom para seus personagens nas primeiras sequências. Déborah parece encarna um furacão em forma de mulher que traz em si um quê de melancolia: quer se manter famosa a todo custo. Papel oportuno por demais, especialmente num tempo em que o “Big Brother Brasil 11″ deve despejar mais uma leva de subcelebridades no meio artístico. Lázaro, um homem muito bem-sucedido, apesar de mulherengo, reflete o que passam os famosos de hoje – estou falando de famosos de fato, não destes que avisam paparazzi quando vão à praia. Impossível não rir quando ele, impaciente, dá um fora num repórter que pergunta o mesmo de sempre. Já Leonardo aspira ser o amigo gay que todos querem ter. O que sobra em caricatura, sobra em carisma.
 

Como em todo primeiro capítulo, é preciso ter algo que faça com que o espectador se mantenha preso à TV. Este papel, que antes cabia ao momento em que os mocinhos de apaixonam, ficou com Jonas, personagem de Tuca Andrade. Um homem injustiçado, busca vingança contra a poderosa Vitória (Nathalia Thimberg). Assim, como Odete Roittman, ela é a dona de uma empresa de avião que faz conferências em francês e acaba por despertar um ar de nostalgia. Seu sofrimento começa ao ver que seu ex-piloto pretende fazer com que a ela perca as netas num acidente de avião que ele, num momento de desespero, tenta jogar contra uma cidade. É nesse cenário perturbador que os protagonistas Marina (Paola Oliveira) e Pedro (Eriberto Leão) se conhecem. Tá bom que esse avião demorou um tiquinho em queda livre com gente indo e vindo e os efeitos especiais na aterrissagem não foram lá muito incríveis, mas estes são um pormenores.
 

continua após publicidade

Para o bem ou para o mal, as figuras que Gilberto Braga e Ricardo Linhares têm caráter firme, são bem construídos. E os dois são inteligentes. Sabem que não adianta nada enfiar um monte de personagens goela abaixo do espectador. Exatamente por isso os apresentam aos poucos. Neste primeiro episódio, vimos apenas os principais personagens. Os outros aparecerão ao longo das semanas. Não poderia haver decisão mais sábia. Nesta estreia, “Insensato” marcou 36,7 pontos de audiência, segundo prévia do Ibope. Praticamente o mesmo que sua antecessora, “Passione”, que atingiu 37 pontos no primeiro capítulo, com picos de 39 e 55% de share. Mas a julgar pela boa história apresentada, este número tem tudo para aumentar.