Entretenimento

Doença rara faz jovem dormir por até 10 dias seguidos

Da Redação ·
Doença rara faz jovem dormir por até 10 dias seguidos
fonte: BBC Brasil
Doença rara faz jovem dormir por até 10 dias seguidos

Enquanto a maioria dos adolescentes sofre para levantar da cama pela manhã, Louisa Ball, 16, pode levar até dez dias para despertar completamente do sono.

continua após publicidade

Ela sofre de um raro distúrbio neurológico chamado síndrome de Kleine-Levin (SKL), que já a fez dormir durante provas, aniversários de amigos e feriados inteiros.

“Eu tinha alucinações e, depois, não me lembrava de nada. De repente tudo ficava escuro e eu dormia por dez dias. Acordava e tudo estava bem de novo”, disse a jovem à BBC.

continua após publicidade

A doença se manifestou em 2008, quando a adolescente começou a cochilar nas aulas e a se comportar de forma estranha.

Levada ao médico, acabou por ser diagnosticada com a síndrome de Kleine-Levin, doença cuja causa é desconhecida e sem cura.

“Um indivíduo com SKL terá episódios de sono, geralmente com duração entre uma e três semanas, com distúrbios cognitivos nas poucas horas em que estiver acordado”, diz Tom Rico, pesquisador do Centro de Narcolepsia e SKL da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

continua após publicidade

Segundo ele, a síndrome às vezes se manifesta após infecções ou outras doenças. Ela geralmente afeta adolescentes do sexo masculino, que também podem apresentar hipersexualidade, irritabilidade e o hábito de comer compulsivamente.

“Durante esse período, um paciente dormirá algo entre 16 e 22 horas por dia, todos os dias, até o fim do evento.”

O tratamento recomendado é permitir que o paciente durma, e não ministrar remédios.

continua após publicidade

Quando a doença para de se manifestar, conta o médico, o indivíduo volta a dormir e a se comportar normalmente.

Rico diz que não há dados sobre a prevalência da doença, já que muitos casos jamais são diagnosticados.

A boa notícia é que ela pode desaparecer como surgiu, o que geralmente ocorre após dez ou 15 anos.