Mais lidas
Entretenimento

Eliane Giardini critica atitudes da personagem racista

.

 É na internet que a atriz Eliane Giardini, 65, tem sentido a indignação do público com as maldades cometidas por sua personagem, a preconceituosa Nádia da novela “O Outro Lado do Paraíso”, da Globo. Ela sempre destratou e humilhou Raquel (Érika Januza) pelo simples fato de ser negra e jamais a aceitou como nora.

“As reações são imediatas quando eu faço algo na trama que desagrada. Todo o meu texto é muito de direita. Nádia já falou que deveria ter pena de morte, já se perguntou o porquê de a gente ter de sustentar bandido na cadeia. É um retrocesso e o público repudia”, conta Eliane. “Surpreendentemente, ainda não apanhei. Se eu fosse desconhecida, talvez seria antipática ao público”, pontua.

A atriz afirma tentar suavizar a tensão da personagem com um tom de comicidade. “Tento dar uma certa leveza às vezes. Ela tem uma pegada cômica. Não a considero uma vilã igual à Sophia (Marieta Severo). A Nádia é ignorante, fora da realidade, vive em uma bolha”, diz. “Ela tem que ‘apanhar’ muito para poder mudar. Ela vai ter que acordar, crescer, ou então que vá viver no presídio de Bangu”, analisa Eliane.

Na história, a ricaça pisava em Raquel sobretudo quando a moça era empregada de sua casa. Foi nessa época que a jovem conheceu e começou a namorar Bruno (Caio Paduan), o filho da patroa.

Em cena. Para Eliane, não foi fácil gravar as cenas das agressões contra a personagem de Érika. “Em uma cena, eu não conseguia olhar para a cara da Érika, eu não conseguia falar as barbaridades para ela. Eu repeti a cena várias vezes para conseguir. No fim, ela chorou demais. E eu fiquei devastada”, lembra.

A atriz, contudo, crê na possibilidade de regeneração de Nádia. “Sou otimista, acredito que a gente está aqui para melhorar em muitos aspectos, ninguém está aqui para nada. Mas quero que ela fique sozinha, isolada”, finaliza a atriz.

Megera arma para tentar separar de vez Bruno e Raquel 

 Nos próximos capítulos de “O Outro Lado do Paraíso”, Nádia vai armar para que o filho, Bruno, separe-se de vez da juíza Raquel. Ela forjará uma situação para que o rapaz seja pego no flagra com outra mulher. E essa mulher será sua ex-nora, Tônia (Patrícia Elizardo).

“Por um tempo, ela tentou entubar o preconceito racial que sente pela Raquel, mas não por muito tempo. Ela sempre vai querer seu filho longe dela”, comenta Eliane Giardini.

Depois disso, Bruno terá de tentar reconquistar a confiança da juíza. E, para piorar a situação, Tônia, mais uma vez com a ajuda de Nádia, dirá que está esperando um filho de Bruno, o que não será verdade. 

Fonte- otempo.com.br

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber