Entretenimento

Casamento pode diminuir o risco de desenvolver demência, diz pesquisa

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Casamento pode diminuir o risco de desenvolver demência, diz pesquisa
Casamento pode diminuir o risco de desenvolver demência, diz pesquisa

De acordo com as pesquisas realizadas pelo Jornal Of Neurology, Neurosurgerv & Psycghiatry, 42% das pessoas solteiras correm o risco de desenvolver doenças neurológicas em comparação com os casados. Segundo os especialistas, as pessoas casadas são menos propensas a desenvolver a demência por conta do convívio social, ou seja, elas se relacionam mais com outros indivíduos.

continua após publicidade

Os casais em comparação aos solteiros contam com qualidade de vida melhor, segundo o psiquiatra Andrew Sommerlad da Univerity College London, situada no Reino Unido.

Os mesmos afirmam que indivíduos com idade abaixo de 90 anos tem 24% de chance de desenvolver o problema quando comparado com pessoas acima dessa faixa etária de idade que tenha um companheiro ou companheira

continua após publicidade

Viúvos correm menos risco de desenvolver a demência

Já para os viúvos, fica claro que o grau de estudo ajuda muito, pois quanto mais essas pessoas estudam, correm menos riscos de desenvolver e ficarem doentes. As pesquisas mostram que cai para 20% o risco para essas pessoas.

De acordo com os pesquisadores, fica claro que o menor risco de desenvolver demência fica para os grupos de pessoas casadas. Pois os mesmos têm a intenção de usarem tal descoberta como medidas de prevenção da doença para os que não casados.

(Estadão conteúdo)